Filhos Esfomeados

Cumpridos que foram os dias para ela dar à luz, eis que havia gêmeos no seu ventre. 

Saiu o primeiro, ruivo, todo ele como um vestido de pelo; e chamaram-lhe Esaú. 

Depois saiu o seu irmão, agarrada sua mão ao calcanhar de Esaú; pelo que foi chamado Jacó. E Isaque tinha sessenta anos quando Rebeca os deu à luz. 

Cresceram os meninos; e Esaú tornou-se perito caçador, homem do campo; mas Jacó, homem sossegado, que habitava em tendas. 

Isaque amava a Esaú, porque comia da sua caça; mas Rebeca amava a Jacó. 

Jacó havia feito um guisado, quando Esaú chegou do campo, muito cansado; 

e disse Esaú a Jacó: Deixa-me, peço-te, comer desse guisado vermelho, porque estou muito cansado. Por isso se chamou Edom. 

Respondeu Jacó: Vende-me primeiro o teu direito de primogenitura. 

Então replicou Esaú: Eis que estou a ponto e morrer; logo, para que me servirá o direito de primogenitura? 

Ao que disse Jacó: Jura-me primeiro. Jurou-lhe, pois; e vendeu o seu direito de primogenitura a Jacó. 

Jacó deu a Esaú pão e o guisado e lentilhas; e ele comeu e bebeu; e, levantando-se, seguiu seu caminho. Assim desprezou Esaú o seu direito de primogenitura. Gên 25:25-34.  

 

1 - CUIDADO COM A “TIGELA”! 

 

Em Genesis 25, Esaú chegou faminto de uma caçada mal sucedida. Ele pediu a Jacó para dar-lhe uma tigela de lentilhas, e Jacó pediu a Esaú para dar-lhe em troca o seu direito de primogenitura. Esaú não valorizou o seu direito de primogenitura, e como estava “morto de fome”, concordou. A Bíblia diz que Esaú “desprezou” a sua primogenitura.

Na realidade, o direito de primogenitura de Esaú dava-lhe o dobro da herança, mas ele num ápice, entregou o direito de primogenitura por uma tigela de lentilhas. Foi a pior negociação da história da humanidade, Esaú desistiu de tanto por tão pouco

Mas por tão absurdo que pareça, isso acontece ainda hoje.

 

2 - CUIDADO COM O PERIGO DE CONFUNDIR O CRESCIMENTO COM MATURIDADE!

 

Esaú e Jacó cresceram.

Eles tinham 60 anos de idade, quando Esaú vendeu o seu direito de primogenitura. Mas embora eles tivessem crescido, não agiu com muita maturidade. Esaú cresceu desenvolvendo com habilidade para a caça, mas ele não cresceu na sua relação com Deus. Ele aprendeu a matar as presas para o seu jantar, mas nunca aprendeu a controlar o apetite.

Podemos crescer exteriormente mas permanecer imaturos no nosso interior. Precisamo-nos perguntar se crescemos realmente, ou se ainda estamos governados pelo egoísmo infantil e pela impulsividade.

Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor, 

tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem; e ninguém seja devasso, ou profano como Esaú, que por uma simples refeição vendeu o seu direito de primogenitura. Porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado; porque não achou lugar de arrependimento, ainda que o buscou diligentemente com lágrimas. Heb 12:14 -17. 


CUIDADO COM APETITES INSATISFEITOS QUE SE TORNAM EMOÇÕES EXAGERADAS! 

Esaú ficou em apuros porque ele tinha muita fome. Estava com tanta fome, que até estava disposto a fazer qualquer coisa para satisfazer o seu apetite. Ele queria a gratificação imediata. Dramatizou tanto a situação, dizendo que “estava prestes a morrer de fome”. 

Podemos traçar um paralelo entre a fome de Esaú e os nossos anseios espirituais. Quando chegamos com muita fome, tudo fica fora de proporção. É quando estamos solitários, muito cansados, ou com muita fome de afirmação ou valorização que as nossas emoções são exageradas, e se satisfazem com coisas que, normalmente, nem nos passavam pela cabeça.

 

4- Cuidado com a tentação de desistires “DAQUILO QUE QUERES MAIS” por “AQUILO QUE QUERES AGORA”!

 

Depois Esaú ter vendido o seu direito de primogenitura, comeu o seu guisado. Mas a Escritura não menciona  se  ele gostou. Isto mostra que “a tigela sempre parece ser melhor no momento, do que aquilo  realmente é”!

O inimigo quer fazer um acordo connosco: “tigelas” pela “primogenitura”. Ele não nos pode tirar nada, mas pode-nos  convencer a lhe darmos alguma coisa, quando nos convence de que não há outra saída. 

Mas quando vemos “a tigela” por aquilo que ela realmente é, (apenas um recepiente de lentilhas), ela perde o seu poder sobre nós!

A primogenitura de Esaú era invisível. Ele perdeu a perspectiva, e escolheu algo sem valor e visível sobre algo precioso e invisível. Da mesma forma, o inimigo mostra-nos “tigelas cheias de fragâncias” para nos fazer perder o nosso futuro, pureza e  integridade. Devemos fixar os nossos olhos naquilo que é invisível, e não no que é visível. 2 Coríntios 4:18.

 

5 - FILHOS ESFOMEDOS 

 

Como filhos de Deus em Jesus Cristo, temos um direito de nascença, uma herança espiritual. Temos direito a possuir o que Jesus possuiu, porque quando Jesus morreu e ressuscitou, enviou-nos  do céu a Sua herança através do Seu Espírito Santo.

Mas para cada primogenitura existe uma tigela. Vendemos a nossa paz, optando por nos alimentarmos de pensamentos preocupantes. Vendemos a nossa alegria, optando por nos alimentarmos de uma tigela de coisas, para depois reclamarmos delas. Vendemos o nosso testemunho,  “dando largas” aos nossos temperamentos.

Esaú escolheu a tigela, e mais tarde tentou ser restaurado da sua herança. Mas isso foi-lhe negado. Em Hebreus 12, ele foi chamado de "devasso e profano", por causa dos seus erros.

No Evangelho de Lucas, capítulo 15,  conta a história de um outro tipo de filho, na  parábola do Filho Pródigo.  Ele escolheu também a tigela, mas foi totalmente restaurado pelo seu pai, depois de ter caído em si, e de ter percebido o erro dos seus caminhos. 

Certo homem tinha dois filhos. Quando o mais novo disse ao pai: 'Eu quero agora a minha parte da herança, em vez de esperar até que morra”, o pai concordou em dividir a fortuna entre os filhos. 

Poucos dias depois, o filho mais moço ajuntando tudo, partiu para um país distante, e ali desperdiçou os seus bens, vivendo dissolutamente. E, havendo ele dissipado tudo, houve naquela terra uma grande fome, e começou a passar necessidades. Então foi encontrar-se com um dos cidadãos daquele país, o qual o mandou para os seus campos a apascentar porcos. E desejava encher o estômago com as alfarrobas que os porcos comiam; e ninguém lhe dava nada. 

Caindo, porém, em si, disse: Quantos empregados de meu pai têm abundância de pão, e eu aqui pereço de fome! Levantar-me-ei, irei ter com meu pai e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados. 

Levantou-se, pois, e foi para seu pai. Estando ele ainda longe, seu pai o viu, encheu-se de compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou. 

Disse-lhe o filho: Pai, pequei conta o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho. Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa, e vesti-lha, e ponde-lhe um anel no dedo e alparcas nos pés; trazei também o bezerro, cevado e matai-o; comamos, e regozijemo-nos, porque este meu filho estava morto, e reviveu; tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a regozijar-se. Lucas 15:12-24.

Ainda há um outro Filho, Jesus Cristo. Ele foi tentado com "tigelas" no deserto, por quarenta dias, mas nunca cedeu. Ele prevaleceu sobre os desejos do mundo, pela Palavra de Deus. Ele fez isso, para que nós também possamos ter uma oportunidade de sermos restaurados na nossa herança como filhos de Deus. Porque os que dantes conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos; Rom 8:29.  

Todos nós somos como Esaú. Escolhemos “tigelas”. Mas quando “caímos em nós” e escolhemos voltarmo-nos para Jesus, podemos ser sempre restaurados. 

Nós não temos de viver como filhos esfomeados. A graça de Deus coloca um fim a tudo isso!

Media

Comentários