Não há uma Causa?

Com a sabedoria se edifica a casa, e com o entendimento ela se estabelece. (Provérbios 24:3). “E um deles, doutor da lei, para o experimentar, interrogou-o, dizendo: Mestre, qual é o grande mandamento na Lei? Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento”. Mateus_22:35-37.

Vivemos tempos em que o homem parece viver ao acaso. O cristão muitas vezes não sabe responder a questões que lhe são propostas. É necessário ser apologeta, isto é, saber um pouco de Apologia.  Esta palavra não deriva do inglês apologize, apesar de passarmos a vida a pedir desculpas, por sabermos fazer o bem, mas não o fazemos. Trocamos o bem pelo mal, de tal forma, que os valores sagrados se vão perdendo.

A palavra "apologia" vem do grego, e significa "defender uma causa”. A Apologética Cristã é portanto a ciência que defende a Fé Cristã perante as pessoas céticas que duvidam da existência de Deus e/ou atacam a crença no Deus da Bíblia, a inspiração e a inerrância da Bíblia. Também serve para confrontar os falsos doutores que promovem doutrinas falsas, que negam as verdades básicas da Fé Cristã. 

O versículo-chave da Bíblia para a Apologética Cristã, é 1 Pedro 3:15-16. "Antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós, fazendo-o, todavia, com mansidão e temor". Segundo este versículo Apologia significa, portanto, dar resposta”, “apresentar defesa da fé”, “esclarecer as verdades do Evangelho” .

“Verdade é que alguns pregam a Cristo até por inveja e contenda, mas outros o fazem de boa mente; Estes por amor, sabendo que fui posto para defesa do Evangelho”. Filipenses 1:15,16. Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro”(verso 20).

Existem muitas questões que se relacionam com a “racionalidade” do Evangelho e com a “coerência” do mesmo. O filho de um Senador fez esta pergunta concisa e profunda a um famoso Teista: “Porque razão Deus tornou tão difícil acreditar Nele?” Mas há questões mais generalizadas que também precisam de respostas. Daí o título desta mensagem.

Malcolm Baldridg era um ateu que tardiamente chegou aos pés do Senhor. Nos anos setenta foi um encorajamento moral e um dos melhores jornalistas do mundo. Tinha muita facilidade em capturar a realidade quotidiana e descrevê-la. “É difícil desistir da conclusão que o homem do secúlo xx decidiu abolir-se, ele próprio, cansado de tentar ser ele mesmo. Criou tédio da sua própria riqueza, impotência da sua erotomania, vulnerabilidade da sua própria força. Ele mesmo faz soar a trompeta que derruba as paredes das suas cidades, até que finalmente se educa na imbecilidade, drogando-se em estupidofacção, mata-se como um cansado brontossauro e fica extinto“.

“EDUCANDO-NOS EM IMBECILIDADE“ 

Hoje vivemos na Era da Razão em que o ateísmo cresce. Podemos justificar qualquer teoria, trazendo um professor daqui ou dali. Vivemos num tempo onde reina o Hedonismo, (doutrina moral que faz do prazer, o único propósito da vida), e o Relativismo, (teoria filosófica que se baseia na relatividade do conhecimento). No Antiteísmo (teoria filosófica que suporta a oposição entre a natureza humana e a natureza espiritual), aquilo que antes era sagrado, para muitos já deixou de o ser.

Ai dos que ao mal, chamam bem; e ao bem, mal; que põem as trevas por luz, e a luz por trevas, e o amargo por doce, e o doce por amargo! Isaías_5:20.

Onde estão as definições e certezas? Será tudo relativo? Ao lermos Genesis 2:16, 17, “Ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente; mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás”, está realmente a dizer “Não te armes em deus!”, “Não comeces a definir e a redefinir o bem e o mal!”. Mas na realidade foi o que nós fizemos. “Tiramos” da Sua mão a balança e o cajado. Julgamos a justiça de Deus. Queremos ser “deuses” de Deus. Não é irónico que hoje, todas as árvores tenham alguém que as defenda, mas quanto à Árvore do conhecimento do bem e do mal, não exista um maior número de defensores?


O MUNDO PRECISA DE “NEEMIAS” 

Nos anos 400 a.C., um homem chamado Neemias, que era engenheiro civil, servia num palácio, e anos mais tarde o seu irmão Hanani, veio visitá-lo. Neemias quis logo saber o que se passava com a cidade dos seus pais e com o seu povo que tinha escapado do cativeiro. Hanani respondeu-lhe: “O povo está em aflição, os muros estão destruídos, as portas da cidade queimadas. A cidade está em ruínas!”.

Neemias podia, como estava a servir ao rei, dizer: “Mandamos daqui uns profetas (uns pregadores), mas não. Passados aproximadamente quarto meses, o rei olhou para ele e o viu muito triste. Como copeiro do rei, Neemias não tinha permissão para mostar emoções, e arriscou a sua própria vida ao se mostrar entristecido.

  • “O que é que se passa? Porque estás triste?” – perguntou o rei.

OREI, POIS, AO DEUS DO CÉU”

“Sucedeu, pois, no mês de nisã, no ano vigésimos do rei Artaxerxes, quando o vinho estava posto diante dele, que eu apanhei o vinho e o dei ao rei. Ora, eu nunca estivera triste na sua presença. E o rei me disse: Por que está triste o teu rosto, visto que não estás doente? Não é isto senão tristeza de coração. Então temi sobremaneira. E disse ao rei: Viva o rei para sempre! Como não há de estar triste o meu rosto, estando na cidade, o lugar dos sepulcros de meus pais, assolada, e tendo sido consumidas as suas portas pelo fogo. Então o rei me perguntou: Que me pedes agora? Orei, pois, ao Deus do céu, e disse ao rei: Se for do agrado do rei, e se teu servo tiver achado graça diante de ti, peço-te que me envies a Judá, à cidade dos sepulcros de meus pais, para que eu a reedifique. Então o rei, estando a rainha assentada junto a ele, me disse: Quanto durará a tua viagem, e quando voltarás? E aprouve ao rei enviar-me, apontando-lhe eu certo prazo. Eu disse ainda ao rei: Se for do agrado do rei, dêem-se-me cartas para os governadores dalém do Rio, para que me permitam passar até que eu chegue a Judá; como também uma carta para Asafe, guarda da floresta do rei, a fim de que me dê madeira para as vigas das portas do castelo que 

pertence à casa, e para o muro da cidade, e para a casa que eu houver de ocupar. E o rei me as deu, graças à mão benéfica do meu Deus sobre mim. Neemias 2:1-8.  

Em treze capítulos do livro de Neemias, aparece esta frase durante onze vezes. “Orei pois ao Deus do céu”. Vemos nesta história bíblica, uma Causa e uma pessoa a ser preparada por Deus para atender a esta Causa.

  1. ACEITA A CARGA - O DESAFIO DA RECONSTRUÇÃO DOS MUROS.

Há aqui uma pessoa que podia estar a desfrutar da comodidade do lugar onde vivia, mas ouviu a voz de Deus que lhe dizia: “Quero que vás a Jerusalém e reconstruas os muros”. Neste processo há vários estágios. 

Primeiro: “Jamais carregarás um peso, até que o sintas na tua alma”.

Alguma vez perguntaste a Deus que “PESO Ele quer que tu que tu carregues? Esses “muros destruídos”, essas “pessoas em aflição”, esses “portões queimados”, são uma analogia das famílias destruídas neste mundo. 

As famílias são o pilar da sociedade, mas há um sem número delas que estão “sem portas” no seu lar, onde tudo e todo o tipo de influências podem entrar. E o pior é que não cuidam da árvore do bem e do mal. Permitem que os seus filhos cresçam sem limitações e transgridam a perfeita lei da liberdade. Por essa causa, o povo de Israel ficou em cativeiro. Assim também nos nossos dias, muita gente tem a sua mente entenebrecida e cativa, longe do conhecimento do entendimento da vontade de Deus para a sua vida.

O entendimento para aquele que o possui, é uma fonte de vida, porém a estultícia é o castigo dos insensatos. Prv_16:22. Ouvi agora isto, ó povo insensato e sem entendimento que tendes olhos e não vedes, que tendes ouvidos e não ouvis. Jer_5:21. “Portanto digo isto, e testifico no Senhor, para que não mais andeis como andam os gentios, na verdade da sua mente, entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração; os quais, tendo-se tornado insensíveis, entregaram-se à lascívia para cometerem com avidez toda sorte de impureza. Mas vós não aprendestes assim a Cristo, se é que o ouvistes, e nele fostes instruídos, conforme é a verdade em Jesus, a despojar-vos, quanto ao procedimento anterior, do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano; Efs 4:17-22.  

Necessidade de respostas. Às vezes tenho a oportunidade de visitar alguns lugares no globo mais desprivilegiados. Muitas pessoas me dizem “Tens a oportunidade de ir ao encontro de necessidades e dar-lhes resposta. Que bom!” Sim, é verdade. Mas é doloroso voltar, e ver que ficou tanta necessidade sem resposta.

Ao nosso redor há tantas necessidades de uma resposta. Mas para que tenhas um peso por elas, tens de as sentir em ti, na tua alma. Não podes passar indiferente, não podes ficar sem reagir. Por vezes ficas sensibilizado, emocionado, e queres dar resposta a essas necessidades, mas não te é possivel. 

Há só um lugar onde pode ser lançado toda a dor e sofrimento deste mundo. Esse lugar é o coração de Deus. 

Toma atenção! No coração de Deus podemos lançar todo os fardos, e é o próprio Deus que reparte a Sua carga com os seus filhos. Ele divide a Sua carga contigo e comigo, de acordo com a que cada um pode suportar. 

Já descobriste qual a carga que Deus colocou no teu coração? Sentes pesar pelos pais da comunidade onde estás inserido?

Neemias sentiu a carga do seu povo 

Neemias sentiu a destruição na qual o seu povo se encontrava, sem ânimo, sem coragem, desprezado, espoliado pelo Cativeiro. Podes sentir o mesmo à tua volta? Podes sentir como a destruição de valores se vai infiltrando na Educação e em todo o tipo de filosofias antiteístas e no relativismo? Podes sentir a expansão do hedonismo, a crise de fé, de valores familiares, num cristianismo que se caracteriza pela satisfação da Criação, em vez de agradar ao Criador?


 

  1. NEEMIAS AO SENTIR, PRIORIZOU A SUA MISSÃO EM ORAÇÃO. 

A igreja pervalecerá contra o Inferno, segundo a promessa de Jesus! A igreja que ora, fortalece-se. Somos mais fortes, quando estamos de joelhos perante Deus. 

QUANDO ORAMOS, ACONTECEM TRÊS COISAS 

a. Reconhecemos a soberania de Deus

Quando começamos a orar chamamos pelo nosso Pai que estás no céu, por “meu Deus, meu Senhor”, por Poderoso e Majestoso Deus, apelando por aquilo que necessitamos, recordando a nós mesmos que não temos soberania, e que o único soberano, é Deus. Exaltamos Deus porque Ele é, e tem absoluta soberania, e que dependemos da Sua vontade.

b. Confessamos o nosso coração e os nossos pecados 

Ao estarmos em oração, não podemos desempenhar nenhuma outra função. Ficamos sobre sua total atenção, e Ele sonda e conhece o nosso coração. Assim não podemos esconder nada do Senhor.

Quando estamos a fazer qualquer outra coisa, evidenciamos dons, talentos, habilidade, e isso chama a atenção para os nossos feitos. Mas quando nos ajoelhamos na Sua Presença, somos e estamos a sós com Ele. Não podemos impressionar nada nem ninguém, não podemos aparentar. 

Recordam-se da história de Jacó em Peniel, quando lutou com o anjo até ao amanhecer? 

“Disse o homem: Deixa-me ir, porque já vem rompendo o dia. Jacó, porém, respondeu: Não te deixarei ir, se me não abençoares. Perguntou-lhe, pois: Qual é o teu nome? E ele respondeu: Jacó. Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; porque tens lutado com Deus e com os homens e tens prevalecido. Perguntou-lhe Jacó: Dize-me, peço-te, o teu nome. Respondeu o homem: Por que perguntas pelo meu nome? E ali o abençoou. Pelo que Jacó chamou ao lugar Peniel, dizendo: Porque tenho visto Deus face a face, e a minha vida foi preservada. Genesis 32:26-30

Qual é o teu nome?

A razão porque o anjo lhe perguntou o seu nome, é porque ele ludibriou o seu irmão Esaú a vender-lhe a sua primogenitura, e por ter roubado a Isaque, seu pai, a sua bênção, estando ele cego.

  • “Qual é o teu nome?”
  • “Apanhaste-me Senhor! Sou Jacó, o enganador, o suplantador”.

Quando Jacó admitiu “ser quem era”, Deus mudou o seu nome para Israel. 

  1. Quando oramos é a nossa fé que nos carrega

Um cristão que ora, é um cristão que é suportado pela sua fé. Se não oras és um cristão que carregas com a fé. És tu que suportas a tua fé, e isso é extenuante. Andar a carregar com o infinito, é extenuante. É como uma criança sentada sobre um cavalinho de madeira. Começa a baloiçar, vai-lhe dando impulso. A criança pensa que é o cavalinho que a leva, mas na verdade é ela que leva o cavalinho a balançar.

 

  1. Quando oramos, Deus está a transformar-nos no Seu sonho.

Cs-Lewis, nas suas cartas, a Malcolm  diz: “Se quando oro há só uma voz, e parece que sou eu só que falo, como se fosse um sonho, eu oro e sonho que essa única voz na oração, és tu Senhor, a tornar realidade o Teu sonho em mim ”

 

  1. APROXIMA-TE! 

Neemias  dirigiu-se para a cidade de Jerusalém. Ele não actuou ao longe. Do mesmo modo, para que possamos levar a mensagem de Esperança, a Verdade qie liberta, temos de “estar em proximidade”. Perto dos desafios, perto da necessidade, (por mais horrenda que nos pareça).

para reconstruir as famílias, voltar a edificar os muros, as portas, há que aprofundar, cavar fundo, establecer fundamentos. Não podemos ficar pela superficialidade. Precisamos de nos apresentar diante de Deus aprovados por Ele. Deus chama-te para que te aproximes da necessidade alheia, para que saias da tua comodidade!

Se te aproximares, Ele te dará a Graça para que dês resposta às necessidades que se te apresentam. Se tu não te aproximares, muitas necessidades ficarão sem resposta.


 

  1. EVITA A PARALISIA DO PESSIMISMO! 

Não desistas! Muitas pessoas vão zombar de ti. Muitos vão argumentar contra ti, para fazer-te parar. Muitas pessoas vão tentar atemorizar-te, para que não reconstruas. Nem as muralhas, nem as portas da tua cidade. Mas não desistas! Deus chamou-te para reparares as famílias destruídas. Para que ponhas o único fundamento, que é Jesus Cristo, nessas famílias, nas cidades, nas comunidades. Deus chamou-te para poderes enfrentar o desânimo dessas pessoas, e para que pela Sua Graça, possas fazer uma reforma, e volte a manifestar-se assim a Glória de Deus.

As muralhas de Jerusalém foram reconstruídas por Neemias, pois o povo teve ânimo para trabalhar. A comunidade e a sociedade foram organizadas. Foram repartidas as cargas, as responsabilidades, e finalmente foi restabelecida a ordem da Leitura da Torá, e a Glória de Deus se manifestou. Isso requereu compromisso, sacrifício.

Temos o exemplo de Telamacus em Roma, um homem sozinho que levantado por Deus, entrou no meio do Coliseu onde eram assassinados os cristãos, e gritou com todas as suas forças “Parem no nome de Jesus!” A sua voz fez eco. Os soldados quiseram fazê-lo parar, mas ele lutou até morrer, sendo atropelado por uma carruagem. Ficou mesmo sozinho, marcando a História como mártir.

Ouvi também sobre a história de uma criança que um dia viu a sua mãe a chorar. Era um dia muito difícil. A criança chegou junto da sua mãe, deu-lhe um beijo, e tomou a mão da mãe. Com a sua mão fechadinha fez o movimento de dar à sua mãe algo, e disse-lhe “Estou a dar-te um bocadinho de coragem!” 

No dia seguinte, era o primeiro dia de escola para essa criança. E ela chorava no carro a caminho da escola, porque tinha medo de ficar longe de casa. A mãe parou o carro defronte da escola, tirou o cinto da cadeirinha, abraçou a criança e deu- lhe um beijo. Depois toma as suas duas mãozinhas, e colocou uma das suas mãos, sobre a mão da criança, e disse-lhe: “Estou a dar-te um bocadinho de coragem” e com a outra mão fez o mesmo, e disse-lhe “Estou a dar-te todo o meu amor”.

Lemos em 1 Coríntios 13:13 “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor. Estes três; mas o maior destes é o Amor”.

A mãe pôde ver a criança, sem chorar, a caminhar para os pavilhões da escola, com as suas duas mãos fechadas, para não perder nem um bocadinho da sua coragem e do seu amor.

Jesus disse: “Em verdade vos digo, que se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus. Mateus 18:3.  

MUROS DESTRUÍDOS 

PORTAS QUEIMADAS

POVO EM AFLIÇÃO! 

Está escrito em Filipenses 1:29: “Pois vos foi concedido, por amor de Cristo, não somente a crer Nele, mas também o padecer por Ele”.

Deus está a dar-te da Sua coragem! Deus está a dar-te do Seu amor! Porque “É Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efectuar, segundo a Sua boa vontade. Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas; para que vos torneis irrepreensíveis e sinceros, filhos de deus imaculados no meio de uma geração corrupta e perversa, entre a qual resplandeceis como luminares no mundo”. Filipenses2:13-15.

Levanta-te e vai reconstruir as cidades, as famìlias!

“Com a sabedoria se edifica a casa, e com entendimento, ela se estabelece”. Provérbios 24:3.  

ATENDE AO CHAMADO DE DEUS!

  1. Leva a carga, aliviando a carga dos demais! 
  2. Prioriza a oração! 
  3. Aproxima-te! 
  4. Não paralises! Não desistas!

“Tendo por certo isto mesmo, que Aquele que em vós começou a boa obra, a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus”. Filipenses 1:6. 

“Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. Mas todas as coisas provêm de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Cristo, e nos confiou o ministério da reconciliação; pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores por Cristo, como se Deus, por nós, vos exortasse. Rogamos-vos, pois, por Cristo, que vos reconcilieis com Deus. Aquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que Nele fossemos feitos Justiça de Deus. (2 Coríntios 5:17).

Media

Comentários