Deus não nos Tratou Segundo os Nossos Pecados

“não nos tratou segundo os nossos pecados nem nos retribuiu segundo as nossas transgressões.” – Sl.103:10

Creio que podemos resumir que todo o Evangelho diz que “Deus não nos trata segundo as nossas falhas, nem nos paga segundo os nossos pecados, mas sim, trata-nos conforme os méritos do seu Filho”.

Mas houve um momento na história em que Deus tratou uma pessoa conforme ao que nós merecíamos pagar pelos nossos pecados. 

Cristo não tinha cometido pecado, mas Deus, para nosso bem, tratou-o como pecador ... 2ª Cor. 5:21ª 

Era desprezado, e rejeitado dos homens; homem de dores, e experimentado nos sofrimentos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum. Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e carregou com as nossas dores; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós.  Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a boca; como um cordeiro que é levado ao matadouro, e como a ovelha que é muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a boca.” Is. 53:3-7 

Assim, Deus, por meio de Cristo, reconciliou consigo a Humanidade, não tendo em conta os seus pecados......” 2ªCor. 5:19. 

Assim agiu e continua a agir o Juiz Supremo(Deus) connosco: Deus faz com que onde abunda o pecado superabunde a sua graça. Contudo, para nada serve a graça de Deus às pessoas ou ao povo que deseja possuir uma relação “toma lá da cá ” com Ele, ou seja, que Deus faça com eles segundo as suas boas obras e lhes retribua conforme a seus pecados. “Ora bem, aquele que trabalha recebe um salário. E isso não lhe é atribuído como uma oferta, mas como dívida.” (Ro. 4:4).

O Evangelho põe-nos debaixo da graça que assim se descreve: “Contudo se alguém crê em Deus, que aceita o pecador, Deus faz com que ele seja justificado, por causa da sua fé e não por causa das obras” (Ro. 4:5).

Em síntese, todo o Evangelho pode-se resumir, dizendo que Deus não nos trata segundo os nossos pecados, mas sim, segundo a sua graça que é em  Cristo Jesus. 

Mas todas as pessoas, incluindo os crentes, tem por natureza a ideia de que Deus terá mais misericórdia daquele que pecam  menos. 

Mas, “Não desprezo a graça de Deus, pois se alguém pudesse ser justificado pelo cumprimento da lei, então a morte de Cristo de nada serviria.” (Gl. 2:21).

Que não tenhamos em vão tão grande sacrifício que jesus Cristo fez por cada um de nós “Deus amou de tal modo o mundo que entregou o seu Filho único, para que todo o que nele crer não se perca, mas tenha a vida eterna. Não foi para condenar o mundo que Deus lhe enviou o seu Filho, mas sim para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado, mas quem não crê já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho único de Deus.” Jo. 3:16-18

Comentários