Assegura o teu coração!

João 3:16-21 

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigénito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o Seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele. Quem crê Nele não é condenado; mas quem não crê, já está condenado, porquanto não crê no nome do Unigénito Filho de Deus. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a Luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal, aborrece a luz, e não vem para a luz para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade, vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.

 

“Nisto conhecemos o Amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a vida pelos irmãos”.1 João 3:16 

 

“E nisto conhecemos que somos da Verdade, e diante Dele asseguraremos o nosso coração.”1 João 3:19 

O tema principal desta abordagem é o de assegurar o nosso coração. Se vivemos uma vida de dar, entregar, render a nossa vida pelos irmãos, estamos a assegurar, a confirmar a obra de Deus no nosso coração.

“Dar a vida” é morrer para si mesmo, é uma bênção que produz segurança no nosso coração.

Jesus ensinou,“Aquele que perder a sua vida por minha causa, a achará”.

Tens de a deixar, para a encontrar! Tens de a perder, para a ganhar! Tens de morrer para viver!

O caminho para cima, é para baixo!

O maior é o menor!

Aquele que preside é o que serve!

Aquele que é mais importante é aquele que serve!

Não são somente os ensinos de Jesus que importam, mas a forma como os viveu e interagiu socialmente com as pessoas.

Quem é que não deseja a Vida, ou melhor, a Vida abundante? Mas a única forma de a obter, é ao dá-la, ao entregarmos a nossa vida a Deus.

O apóstolo João encontrou uma igreja dividida, com diferentes etnias, judeus e gentios. E João teve alguma dificuldade em confiar, não em confiar em Deus mas em confiar em alguém que não fosse da sua etnia.

Quando olhamos ao nosso redor, ainda vemos divisão de etnias, de Status sociais, entre outros factores, em vez de permitirmos que a poderosa Verdade de que estamos perdoados através do sangue do Cordeiro, ultrapasse todas essas divisões, e unifique os homens…

Jesus entregou a sua vida pela humanidade, e João apela que entreguemos as nossas vidas pelos irmãos. 

João, está neste contexto, fala da divisão que existia entre as etnias da sua igreja. Os judeus e os não judeus devem entregar a sua vida uns pelos outros, não somente pelos seus… Jesus entregou a Sua vida por todos. E penso que isso aplica-se a nós, hoje.

Quando te sentes desconfortável com algumas pessoas que podem parecer “diferentes”, que podem até ser de outra nacionalidade, de outra etnia, com diferentes hábitos, até podes sentir-te ofendido por alguma atitude ou palavra. Mas o apelo não é para que toleres outros, mas para que entregues a tua vidapor amor a eles. 

Não temos de tentar darmo-nos bem nesta comunidade ICCM, mas estamos a procurar que, através da graça de Deus, possamos fazer aquilo que Deus quer. E isso, porque Ele entregou a Sua vida por TODOS nós, e não somente por uma parte de nós.

O apóstolo João foi específico, e começou pela sua comunidade. Isto somente é possível pela graça de Deus e pelo poder do Espírito Santo, em todos aqueles que aceitaram o Senhor Jesus como seu Salvador e Senhor. Esses são os que recebem o Seu Espírito Santo.

 

O que significa “entregar” a nossa vida?

Evidentemente que isto tem um elevado significado, e tem a ver com o nosso estilo de vida, que deve tipificar e definir o modo de viver.

Estamos congregados, vivemos numa Comunidade de irmãos, para entregarmos a nossa vida pelos irmãos. 

Na língua original, nas mais variadas escolas de pensamentos teológicos, o significado de “entrega de vida”, significa “morrer literalmente”. Alguns seguidores de Cristo deram as suas vidas pela Fé e pelos seus irmãos. Eles são considerados Mártires da Fé. 

Mas para nós, que também “devemos morrer”, devemos morrer para quê?! Como vamos entender a Escritura? Temos que vê-la no seu contexto. 

«Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio: que nos amemos uns aos outros; não como Caim, que era do maligno e matou o seu irmão. E por que causa o matou? Porque as suas obras eram más, e as do seu irmão, justas.»1 João 3:11,12 ARC 

«Qualquer que aborrece o seu irmão, é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem permanecente nele a vida eterna. Conhecemos o Amor nisto: que Ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos.» 1 João 3:15-16 ARC

Fica claro que partindo desta Escritura, devemos morrer pelos irmãos, mas morrer para quê?!

 

1- Morrer para o ódio, (Maldade).

 

E a primeira história é a de Caim e de Abel, os primeiros filhos de Adão e Eva. Eles trouxeram uma oferta a Deus, e veio primeiro Abel com um cordeiro do seu rebanho. Abel trouxe a oferta – as primícias – o primeiro! Tem a ver com os primeiros frutos. 

Caim desenvolveu um mau sentimento no seu coração, a inveja. Caim não gostou do facto do seu irmão ser abençoado, e ele não. 

É necessário “morrer para o ódio”. Muitas pessoas confessam, “Eu não tenho ódio”, “Não sou racista”, “Não faço bulling”, mas manifestam ódio de outras formas. 

Caim não lhe disse que não gostava do seu irmão. Eles eram irmãos! E o apóstolo João estava a falar dos irmãos da igreja. Uma das manifestações do ódio é o ciúme. É também a inveja e os sentimentos facciosos. 

Precisamos de confessar: “Eu não te odeio, eu te amo!”. Temos de morrer para o ódio em todas as suas manifestações, nos ciúmes, nas invejas e nos sentimentos facciosos.

O ódio manifesta-se também no desprezo, no ignorar, no evitar outros. Na realidade, muitas são as vezes que nós evitamos, que ignoramos outros. 

De onde vêm as guerras e contendas entre vós? Porventura não vêm disto, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais e nada tendes; logo matais. Invejais, e não podeis alcançar; logo combateis e fazeis guerras. Nada tendes, porque não pedis. Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. Infiéis, não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus. Ou pensais que em vão diz a escritura: o Espírito que ele fez habitar em nós anseia por nós até o ciúme? Todavia, dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos; dá, porém, graça aos humildes. Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Tiago 4:1-7 

A materialização do ódio está descrita no verso 16. “Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitando, lhe fechar o seu coração, como permanece nele o amor de Deus?”1 João 3:17 

  

2- Morre para a ideia de “fechares o teu coração”.

 

Exemplo: Já reparaste no “fecho das lojas”, quando estás mesmo a precisar de algo, e não chegas a tempo porque as portas estão a encerrar?” Devemos estar disponíveis! Sermos generosos! Sermos compassivos e misericordiosos. 

Muitas vezes achamos que temos o direito de nos fecharmos devido a “preconceitos”, “suspeitas”. O apóstolo João está aqui a revelar-nos que, como comunidade, devemos ajudar os irmãose de não fecharmos o nosso coração

Uma maneira de termos o nosso coração aberto, é entregar a nossa vida. Não devemos ser mesquinhos! Devemos ser generosos até com aqueles que são maus, com mau aspecto! Devemos ser generosos, sem “olharmos a quem”. Mas em vez disso, nós dizemos aos outros, “Para te ajudar, deves ganhar o meu respeito!”   

E ganhámos nós, o respeito de Jesus para que Ele nos abençoasse? Não!

Devemos morrer para um coração fechado, e para todas as atitudes que manifestam isso. Claro que há limites! Devido a tanta dor e abusos, nos afastamos de determinadas pessoas, mas isso não anula a que tenhamos um coração aberto para os outros.

Certamente que já invejaste, ignoraste, ou te afastaste de outras pessoas!

 

3- É precisos morrer para a ideia, “a minha vida“.

 

Quando rendemos as nossas vidas, estamos a entregá-la. Temos de morrer para a ideia da “minha vida”, em prol da vontade de Deus.

“De facto, fui crucificado com Cristo. Meu ego não ocupa mais o primeiro lugar. Pouco me importa parecer justo ou ter um bom conceito entre vocês: não estou mais tentando impressionar Deus. Agora Cristo vive em mim. A vida que vivo não é “minha”, mas é vivida pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim. E eu não volto mais atrás.

Não está claro que voltar para a velha religião, de guardar regras e agradar os outros, é abandonar a nova vida de relacionamento com Deus? Não posso desprezar a graça de Deus! Se é possível ter um relacionamento vivo com Deus apenas guardando regras, Cristo morreu em vão”.Gálatas 2:20, 21

Não quero impressionar Cristo! Já não vivo a “minha vida”, senão que vivo a “vida de Cristo”!

Aqui está a CHAVE de “morrer para o ódio”, de “fechar o coração”, de sentir que “a vida é minha”.

Lembra-te de Abraão e de Sara, da promessa, de Isaac!

Deus não queria que Abraão, na realidade, matasse o seu filho, o filho da Sua Promessa! Lê Génesis 22. O sacrifício de Isaac.

“Sucedeu, depois destas coisas, que deus provou a Abraão, dizendo-lhe: Abraão! E este respondeu: eis-me aqui. Prosseguiu Deus: toma agora teu filho; o teu único filho, Isaque, a quem amas; vai à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre um dos montes que te hei-de mostrar. Levantou-se, pois, Abraão de manhã cedo, albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque, seu filho; e, tendo cortado lenha para o holocausto, partiu para ir ao lugar que deus lhe dissera. Ao terceiro dia levantou Abraão os olhos, e viu o lugar de longe. E disse Abraão a seus moços: ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o mancebo iremos até lá; depois de adorarmos, voltaremos a vós. Tomou, pois, Abraão a lenha do holocausto e a pôs sobre Isaque, seu filho; tomou também na mão o fogo e o cutelo, e foram caminhando juntos. Então disse Isaque a Abraão, seu pai: meu pai! Respondeu Abraão: eis-me aqui, meu filho! Perguntou-lhe Isaque: eis o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto? Respondeu Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. E os dois iam caminhando juntos. Havendo eles chegado ao lugar que Deus lhe dissera, edificou Abraão ali o altar e pôs a lenha em ordem; o amarrou, a Isaque, seu filho, e o deitou sobre o altar em cima da lenha. E, estendendo a mão, pegou no cutelo para imolar a seu filho. Mas o anjo do Senhor lhe bradou desde o céu, e disse: Abraão, Abraão! Ele respondeu: eis-me aqui. Então disse o anjo: não estendas a mão sobre o mancebo, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus, visto que não me negaste teu filho, o teu único filho. Nisso levantou Abraão os olhos e olhou, e eis atrás de si um carneiro embaraçado pelos chifres no mato; e foi Abraão, tomou o carneiro e o ofereceu em holocausto em lugar de seu filho. Pelo que chamou Abraão àquele lugar Jeová-Jiré; donde se diz até o dia de hoje: no Monte do Senhor se proverá”. Génesis 22:1-14 

Devo MORRER para a minha vida, aquela vida que eu considero “minha”! Deus proverá o cordeiro para o holocausto!

Quando tu segues Jesus, haverá momentos que parecem não fazer sentido, que não entendes, tal como Abraão não entendeu, nem Isaac! Mas vamos obedecer ao Senhor!

Deus não queria Isaac, pois Deus enviaria o Seu Filho Unigénito. O substituto é Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

Rendermo-nos, é entregar-nos, é despojar-nos!

“Pelo que, despojando-vosde toda sorte de imundícia e de todo vestígio do mal, recebei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas. E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Pois se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante a um homem que contempla no espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo e vai-se, e logo se esquece de como era.

Entretanto aquele que atenta bem para a lei perfeita, a da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas executor da obra, este será bem-aventurado no que fizer. Se alguém cuida ser religioso e não refreia a sua língua, mas engana o seu coração, a sua religião é vã. A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo”.Tiago 1:21-27

 

“A despojar-vos,quanto ao procedimento anterior, do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano; a vos renovar no espírito da vossa mente; e a vos revestir do novo homem, que segundo deus foi criado em verdadeira justiça e santidade. Pelo que deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo, pois somos membros uns dos outros. Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira; nem deis lugar ao diabo. Aquele que furtava, não furte mais; antes trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tem necessidade. Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que seja boa para a necessária edificação, a fim de que ministre graça aos que a ouvem. E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção. Toda a amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmia sejam tiradas dentre vós, bem como toda a malícia. Antes, sejam bondosos, uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo”.Efésios 4:22-32

 

Read more...
Subscribe to this RSS feed

Enlaces Ministeriais

Enlaces Ministérios Cristãos que colaboram direta/indiretamente em Portugal e Internacional.

Enlaces Institucionais

Enlaces institucionais de ajuda e apoio ao próximo

Outros Enlaces

Outros enlaces de colaboração e serviços

Este site usa cookies própias e externas para melhorar a sua navegação, ao prosseguir, concorda com o seu uso.
Mais informação Aceitar Decline