Cheguei a ser homem! Deixei as coisas de menino!

“Ao toque do amor, todas as pessoas se tornam poetas.” (Platão)

 
O amor transforma-nos, dá novas forças. Quem ama vê tudo mais bonito, e tem vontade de expressar o amor com a eloquência e o fogo de um poeta.

Amor é um Fogo que Arde sem se Ver


Amor é um fogo que arde sem se ver; 
É ferida que dói, e não se sente; 
É um contentamento descontente; 
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem-querer; 
É um andar solitário entre a gente; 
É nunca contentar-se e contente; 
É um cuidar que ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade; 
É servir a quem vence, o vencedor; 
É ter com quem nos mata, lealdade.

 
Mas como causar pode, seu favor 
Nos corações humanos, amizade, 
Se tão contrário a si, é o mesmo Amor?

  

E QUE DIZ A BÍBLIA SOBRE O AMOR?

 
“Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.” 1 Coríntios 13:11

 
No capítulo 13 de 1 Coríntios, encontramos o Apóstolo Paulo a falar à igreja de Corinto, e o ponto-chave é Amor, o ponto crucial de tudo.

 
Muitas vezes perdemos a noção do ponto fulcral. Focamo-nos em dons – capacidades humanas – focamo-nos em emoções – focamo-nos muito, e quase sempre, em nós mesmos!


O ponto fundamental, é aquilo que responde a todos os nossos porquês!

Porque é que Jesus nos salvou? Porque é que Jesus sofreu uma morte de cruz? 

Porque somos livres? Porque vale a pena seguir em frente? 

 
O título deste capítulo 13 é o Amor – Paulo procura desmistificar todas as áreas nas quais a Igreja se apoiava, para a levar ao entendimento do assunto, ao ponto fulcral, para as suas vidas e para o seu crescimento.

É natural, e isso deve acontecer nas nossas vidas. Saber diferenciar o fundamental, do importante, é essencial.


O amor é fulcral! Como cristãos devemos saber e conhecer o Amor, que é Jesus!

 
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que Nele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é julgado; mas quem não crê, já está julgado; porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.” João 3:16-18 

 
JESUS NÃO É UM CONCEITO, NÃO É UMA TEORIA, JESUS É AMOR! 

 
Se queres conhecer o que é o amor, precisas conhecer Jesus, e conhecerás o Verdadeiro Amor!

 
1 CORÍNTIOS 13:1-3

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. Ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.”

 

Paulo está nestes versos a fazer referência ao que tem a mesma aplicação nos dias de hoje. As pessoas gostam de se evidenciar através dos seus dons, da profecia, através da sua sabedoria, (sendo muitas vezes “sábios” na sua própria opinião), através das suas possessões, das suas dádivas, da sua generosidade! Mas nada disso é proveitoso, nada disso traz crescimento. Nos versos 4 a 7, Paulo descreve as características do Amor. 

 
“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece, não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”

 

Gostaria de salientar aqui, que estas são características que se prendem com uma relação vertical, ou seja, a de Paulo com Deus, no seu encontro a caminho de Damasco. Embora possamos ver que o Amor seja algumas vezes acompanhado por algumas emoções, o amor em si mesmo, não é uma emoção. A ideia de que o amor é uma emoção, ou que está necessária e proporcionalmente ligado a certas emoções, pode, e tem causado danos no desenvolvimento ético, intelectual e espiritual de muitos crentes.

 
Nestes versos podemos ver o decorrer do amar ao próximo como a si mesmo. “O amor nunca falha; mas, havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;” v.8

 
Jesus nunca falha! O amor nunca falha! É eterno! Os dons, as profecias, o falar em línguas espirituais, serão desnecessárias, na eternidade. 

 
E “seja feito assim no céu, como na terra!” Para podermos avançar, temos de enfatizar em poder, ter a revelação do Amor, de acordo com as Sagradas Escrituras, de acordo com o Senhor Jesus. Poderemos assim chamar Jesus, “O Senhor que é Amor”.

 
A Escritura define o nosso amor para com Deus da mesma forma. Jesus disse aos seus discípulos: “Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.” João 15:14. Não diz que eles sentirão “algo especial”, ou “sentirão uma certa emoção”. 

 
QUEM AMA, OBEDECE!

 
 Então, Jesus disse: “O meu mandamento é este: Amem-se uns aos outros como eu os amei. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos” João 15:12,13 

 
Não há nenhuma emoção aqui! O mandamento é amar, e esse amor significa “Feitos heróicos e sacrificiais em benefício de outros”.

 
Muitas pessoas ficam perturbadas interiormente perante o mais leve sofrimento dos outros, mas não se sacrificam nem um pouco do seu conforto pessoal para os resgatar, “salvar-lhes a vida”! 

E o que tem sido ensinado pela cultura, tradição, filosofias anticristãs, (não pela Escritura), é que isso é “compaixão”.

 
MAS APENAS GEMER E CHORAR PELOS NECESSITADOS, SERÁ AMOR? 

 
Embora muitos se possam sentir muito compassivos e “espirituais” pelos outros, mas se nada fazem, isso não tem nada a ver com Amor.


Os Teólogos e comentaristas admitem que o Amor bíblico implica pensar e agir de acordo com os Mandamentos de Deus para com as outras pessoas, e não simplesmente como um tipo de emoção particular. 

 
A Escritura é clara! Não é algo difícil de reconhecer! Como um comentarista escreveu: “A Bíblia fala do Amor como uma ação e atitude, não apenas uma emoção… os cristãos não têm desculpa por não amar, pois o amor cristão é uma decisão de agir no melhor interesse dos outros”.

 
Paulo dá algumas recomendações aos Romanos no capítulo 12, cujo título define como “Deveres Cristãos”.

 
“O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros; não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao senhor; alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração;” Romanos 12:9-12

 
Amor não fingido – aborrecer o mal – juntar-te ao bem - amar uns aos outros cordialmente – com amor fraternal – preferir-se uns aos outros – ser fervorosos no espírito servindo ao Senhor – alegrar-se na esperança – ser paciente na dificuldade – perseverar na oração.

 
“Porque, em parte, conhecemos e, em parte, profetizamos. Mas, quando vier o que é perfeito, então, o que o é em parte será aniquilado.” (versos 9,10)

 
Sim! Em parte! Estamos ao redor da Palavra, e conhecemos, e podemos profetizar, mas virá o dia em que o “SENHOR AMOR”, o Perfeito, virá! E nesse dia, tudo o que era em parte, ou fazia parte, fica aniquilado, se desvanece… Mas até esse dia, temos de crescer!

 
O AMOR FRUTIFICA

 
Há muitos cristãos, muitos ministros do evangelho que estão “na mesma página”, há muito tempo. Estão no mesmo cruzamento, estão na mesma doca, ancorados! Jesus em João 15 falava acerca de crescimento, sobre dar fruto. O viticultor vinha limpar a sua vide, para que toda a vara desse fruto, e a vara que não desse fruto, a cortaria. Mais adiante começou a trazer a revelação do amor, pois crescimento é amar. Mas para amares tens de ser amado pelo AMOR.


“Há apenas um remédio para o amor; que é amar mais.” (Henry David Thoreau)

 
“Como o Pai me amou, assim também eu vos amei; permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor.” João 15:9,10 

 
Permanecer no amor – guardando os Seus Mandamentos – a Sua Palavra. Jesus dá um novo mandamento superior, ao qual se resume toda a Lei: 

 
“Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.” 

 
“O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.” João 15:12-14 

 
Aqui vamos uma vez mais ao ponto fulcral! O Amor sacrificial que é dado aos demais, em sujeição à vontade de Deus! 

SERVIR A DEUS, É SERVIR OS OUTROS.

 
Amar a Deus é amar os outros, mesmo quando esse amor não é correspondido. “Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor é de Deus; e todo o que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.” 1 João 4:7 

 
Ora vejamos umas palavras escritas por Tiago.

 
“Pelo que, despojando-vos de toda sorte de imundícia e de todo vestígio do mal, recebei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas. E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Pois se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante a um homem que contempla no espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo e vai-se, e logo se esquece de como era. Entretanto aquele que atenta bem para a lei perfeita, a da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas executor da obra, este será bem-aventurado no que fizer. Se alguém cuida ser religioso e não refreia a sua língua, mas engana o seu coração, a sua religião é vã. A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo.” Tiago 1:21-27 

 
Mas vamos continuar com a Escritura de Paulo aos Coríntios.

 
- Como filhos de Deus:

- Temos a opção de crescer.

- De não ficar num cruzamento da jornada 

- De não ficar a meio do capítulo da história 

- De ficar a meio da construção 

 
Não podemos ser daquelas pessoas que “estão sempre na mesma, como a lesma”. O tempo passa, e têm sempre a mesma história? Há mais um apelo, e eles vêm com o mesmo motivo de oração? O nosso desejo é que do nosso interior brotem rios de água viva, que do nosso interior provenha um novo cântico? 

 
Que o Senhor nos dê visão – renovação – nova revelação!

 
Há novos problemas, novas batalhas, novas lutas? Significa que aí vem um novo livramento e novas forças! Pois fomos chamados a viver em novidade de vida. “Eis que faço uma coisa nova, diz o Senhor!” Há um caminho novo!

 
Uma coisa que enfatizo constantemente, que creio ser um erro e, que existe em muitas pessoas, “é estarmos sempre à procura de uma receita para o que fazer”. É aqui que creio que a situação não está bem colocada. Assim sendo, vamos continuar com a Escritura.

 
“Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Porque, agora, vemos por espelho em enigma; mas, então, veremos face a face; agora, conheço em parte, mas, então, conhecerei como também sou conhecido. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.” Verso 11-13

 
As pessoas preocupam-se com “o que fazer” para crescer, para mudarem de atitude. Querem uma lista do que fazer, e pensam que esses “afazeres”, vão produzir algum resultado. Mas a única coisa que conseguem é um condicionamento temporal de comportamentos e hábitos; mas não são transformados no seu ser.

 
Paulo disse, “Quando “eu era menino…” Foca o ser. “Mas cheguei a ser homem! Temos de ser! Aprender a ser! Isso é algo que não se faz, mas que se desenvolvem na mente e no coração!

 
“Vinde a mim, todos os que estai cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo e leve.” Mateus 11:28-30

 
A aprendizagem desenvolve-se a nível cognitivo. É uma disposição do coração e da mente. É aí que ocorre a transformação. É aí onde o Espírito Santo opera.

Quando estamos predispostos na mente e no coração, aprendemos a ser humildes, sendo bondosos, longânimos. Aprendemos a dar Amor. 

 
“O Amor que nós damos, é o único Amor que mantemos!” (Elbert Hubbard)

 
Quando isso muda o coração e a mente, então podemos fazer aquilo que Deus nos chamou para fazer. 

 
A questão que sempre se coloca, é o Amor. 

Quanto mais entendemos o Amor - JESUS – mais mudança radical acontece na nossa vida! Acontece uma nova criação, contínua e progressiva. É a “metamorfose” do nosso ser, operada divinamente.

 
O AMOR TRANSFORMA A NOSSA MENTALIDADE!

 
Aí recordas-te que Alguém pagou por todos os teus pecados, defeitos, iniquidades, erros do passado! Então começas realmente a entender que não são os outros que têm que mudar, (pois a tendência que o ser humano tem é sempre a ver que os outros necessitam mudar, por ser mais fácil dizer aos outros o que têm que mudar, do que “colocar-me ao espelho”, e dizer a mim mesmo, o que tenho de mudar).

 
Na realidade, é mais difícil mostrar aos outros como mudar. Tenho de me ver ao espelho, e tomar nota dos meus defeitos e expô-los ao Espírito Santo, para que Ele opere em mim e deixe de apontar nos outros, esses mesmos erros!

 
Há um bom exercício para todos! 

Usar menos o indicador acusador de outros, e mais o polegar expositor de si mesmo!

 
Queres mudança à tua volta, na tua comunidade, em quem te rodeia? 

Isso vai acontecer quando existir mudança em ti! À medida que fores mudado, também existirá mudança ao teu redor!

 
A MUDANÇA NAS PESSOAS NÃO SÃO AS REGRAS E OS PROGRAMAS BEM ORDENADOS …

 
Tudo isso pode ajudar, mas só depois da mudança na orientação no caminho. A mudança na vida das pessoas vem por testemunhos vivos e genuínos de outras pessoas improváveis, que mudaram os seus maus comportamentos.

 
A mudança na vida das pessoas que nos vêem e nos visitam vai acontecer, quando te vejam a ti e a mim, agindo em conformidade com o Amor, com mais paixão e mais fervor. 

 
A questão fundamental é, e sempre será o Amor!

 
Quando entenderes esse Amor, já não lutas para não pecar, para não agires errado. Já não tens medo, já não acusas, já não condenas. Amas as almas! Há uma transformação na tua vida a ocorrer, continuamente.

 
TRÊS PONTOS PARA ALGUÉM CRESCER EM MATURIDADE

“Para deixares as coisas de menino e seres homem!”

 
• A tua vida está em construção, não está terminada, mas será terminada.
• A tua história está nesse capítulo, mas não é para ficar aí.
• Aquilo pelo que estás a passar não é o final do caminho! Aquilo que vês não é aquilo que receberás. 

Há pessoas que têm filhos em perigo. Há famílias que se desmoronam. Há casamentos em desequilíbrio. Há irmãos com problemas de relacionamento. No entanto, se decides dar o passo, virar a página, passares esse cruzamento, o Senhor é quem faz a obra!

 
Há uma das músicas dos Rolling Stones que diz, “…You can’t always get what you want…”

 
NUNCA TE ESQUEÇAS DESTES TRÊS PONTOS:

 
1- NÃO PODES TER SEMPRE O QUE QUERES! MAS TENS DE CRESCER NA MESMA.

“Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino,” v.11

 
Possivelmente, tu tens criancinhas lá em casa, ou a certa altura já lidaste com elas. As crianças têm visão, desejo e discurso de criança, elas “precisam” daquilo que não necessitam! Mas para elas, é “essencial”!

E se não se lhes dás aquilo que, de acordo à sua visão, entendimento, discurso e argumento, é aquilo que verdadeiramente, elas “acreditam ser o que mais necessitam”, que fazem?

 
Param. Fazem um stop. Amuam. Já não querem fazer mais nada.

 
Há muitos adultos a quem lhes acontece o mesmo. Se não recebem aquilo que, de acordo ao seu entendimento, visão e argumentos, dizem ser “o que lhes faz falta”, fazem stop. Não entendem, acusam o Pastor, a Igreja, o Ministério. Mas há uma novidade, “Nem sempre aquilo que tu pensas ser necessário para ti, é aquilo que é da vontade de Deus, para ti.”

 
A uma criança perguntas-lhe o que é que querem, e dizem: PLAYSTATION 4; ECRÃ HD 50 POLEGADAS e MACDONALDS.

 
O PROPÓSITO DE DEUS É SANTIFICAR-TE, NÃO É FAZER-TE SENTIR FELIZ!

 
Algumas vezes, pode ser que essas coisas se cruzem e se unam, mas há um processo para que vás crescendo e amadurecendo no amor do Senhor. Aí, vais sentindo-te feliz, fazendo a vontade de Deus, e sujeitando-te ao Senhor. E assim decorre a santificação da tua vida!

 
Mas quando isso não acontece, pergunto, será que colocamos um rosto alegre, e seguimos Jesus, porque sabemos que o SENHOR AMOR está a fazer a Sua obra na nossa vida?

 
A felicidade é “altamente”! E somente Deus faz o homem Feliz! 

 
Mas quanto à Santidade, ninguém pode ver Deus, e o propósito do evangelho, do ministério, é apresentar todo homem perfeito diante de Cristo Jesus.

 
Temos de orar e de pedir ao Senhor que eleve os nossos quereres aos “Standards” das necessidades que temos para crescer.

 
Podes sentir-te estagnado no teu crescimento por não receberes aquilo que queres, mas Jesus sabe aquilo que tu necessitas!

 
“Irmãos, não sejais meninos no entendimento; na malícia, contudo, sede criancinhas, mas adultos no entendimento.” 1 Coríntios 14:20 

 
2- NEM TODAS AS LUTAS SÃO LUTAS QUE TENHAS QUE LUTAR 

 “Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino,” v.11

 
Umas das formas mais rápidas de não crescermos em maturidade, é de nos “enredarmos” em lutas insignificantes e irrelevantes.

 
Já presenciaste um grupo de crianças, como muitas vezes começam a lutar de forma inconsciente, por coisas insignificantes? Por exemplo: “Quem é o primeiro a jogar”, “Quem é que vai no lugar da frente do carro”, “O lugar na fila para o almoço da cantina”, são lutas que muitas vezes escalam proporções incríveis, levando à violência verbal e física, e até mesmo, muitas vezes, à discriminação e ao “bullying”.

 “Donde vêm as guerras e contendas entre vós? Porventura não vêm disto, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais e nada tendes; logo matais. Invejais, e não podeis alcançar; logo combateis e fazeis guerras. Nada tendes, porque não pedis. Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.” Tiago 4:1-3 

 
Há muitas contendas insignificantes que surgem por nós darmos atenção aos deleites da nossa carne, às cobiças, a tudo aquilo que vai contra a natureza do amor.

 
“Por isso, não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor.” Efésios 5:17 

 
O Crescimento manifesta sensatez, entendimento. Quando nos colocamos em lutas absurdas, damos espaço ao Inimigo. Isso é o desejo do Diabo, que a casa se divida entre si mesma, que tenha disputas, como “o diz que disse”.

 
O Diabo não nos pode impedir de sermos filhos de Deus, mas pode enredar-nos em lutas infrutíferas, pois ele sabe que somos soldados de Cristo, e que podemos causar muito dano ao reino das trevas, que já tem os seus dias contados.

 
Paulo coloca-se a si mesmo, por exemplo: 

 
“E todo aquele que luta, exerce domínio próprio em todas as coisas; ora, eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível. Pois eu assim corro, não como indeciso; assim combato, não como batendo no ar. Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à submissão, para que, depois de pregar a outros, eu mesmo não venha a ficar reprovado.” 1 Coríntios 9:25-27 

 
Temos de exercer domínio-próprio em todas as coisas. Temos um espírito de poder, de amor, e de mente sã, para lutarmos as batalhas contra o reino de Satanás, para lhe arrebatar aquelas almas que estão de antemão preparadas para a salvação em Cristo Jesus, para lutarmos contra as injustiças sociais e por aqueles que não têm voz. Devemos lutar para que as nossas igrejas possam estar abertas, e levarmos uma mensagem de esperança, um Evangelho Vivo.

 
“…Mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino. Porque, agora, vemos por espelho em enigma; mas, então, veremos face a face; agora, conheço em parte, mas, então, conhecerei como também sou conhecido. Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.” V. 11-13 

 
3- COMBATE COM AMOR E GUARDA A FÉ 

“Tu, porém, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério. Quanto a mim, já estou sendo derramado como libação, e o tempo da minha partida está próximo. Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.”  2 Timóteo 4:5-7 

 
“O amor é a única resposta sã e satisfatória ao problema da existência humana.” Erich Fromm

 
Existimos para amar!

Nós nascemos com o desejo de amar e de sermos amados. Amar dá sentido e propósito às nossas vidas!

Quando o amor chega, o melhor de nós, vem à superfície!

 
A melhor forma de lutarmos contra o mal, é com o bem. E para lutarmos contra o ódio, é amando.

 
Não há maior resposta às enfermidades deste século, do que o Amor. Esse Amor, chama-se Jesus.

 
“Entretanto aquele que atenta bem para a lei perfeita, a da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas executor da obra, este será bem-aventurado no que fizer. Se alguém cuida ser religioso e não refreia a sua língua, mas engana o seu coração, a sua religião é vã. A religião pura e imaculada diante de nosso Deus e Pai é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas aflições e guardar-se isento da corrupção do mundo.” Tiago 1:25-27

 
Bem-aventurado o que persevera no SENHOR AMOR, na sua Lei da Graça! Não se esquece de nenhum dos seus benefícios. Na sua lei medita dia e noite.

Bem-aventurado, (abençoado duplamente), tudo o que fizer prosperará.

 
“Se pensas ser religioso e a tua língua não se refreia estás enganado!”

 
A religião pura e sem mácula: Visitar as viúvas e órfãos – os oprimidos – os que não têm voz para se expressar - os que sofrem injustiça, e guardares-te da corrupção do sistema diabólico do mundo. 

 
Hoje é dia de transformação! 

 
“E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. Por isso daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne; e, ainda que tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos desse modo. Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. Mas todas as coisas provêm de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo, por Cristo, e nos confiou o ministério da reconciliação; pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores por Cristo, como se Deus por nós vos exortasse. Rogamo-vos, pois, por Cristo que vos reconcilieis com Deus. Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.” 2 Coríntios 5:15-21

 

Media

Este site usa cookies própias e externas para melhorar a sua navegação, ao prosseguir, concorda com o seu uso.
Mais informação Aceitar Decline