Items filtered by date: abril 2018

As Últimas Sete Palavras de Cristo na Cruz

“E Jesus, dando um grande brado, expirou.” Marcos 15:37 

Através dos séculos e milénios, o homem construiu muitos altares, e neles sacrificou, para ser absolvido dos seus pecados e dos outros. Todavia, um altar foi escolhido, num lugar conhecido como Gólgota, o Lugar da Caveira. “E, chegando ao lugar chamado Gólgota, que significa Lugar da Caveira,” Mateus 27:33  

Foi aí, no Lugar da Caveira, que David colocou a cabeça de Golias, quando Jerusalém era ainda a cidade dos Jebuseus, e só mais tarde conquistou-a e passou a ser chamada a cidade de David. Foi aqui também onde foi crucificado o Cordeiro de Deus.

“Entregou-Se a Si mesmo a Deus pelos nossos pecados, como um sacrifício duma vez para sempre” Hebreus 10:12 

Jesus passou seis horas cravado na cruz, e durante esse tempo, disse sete frases que têm um significado profundo. Sabemos que tendencialmente, na hora da morte, as frases que temos a dizer têm sempre um significado mais profundo. Assim, no caso de Jesus, que cumpria a vontade do Pai, as Suas últimas palavras, ou as suas últimas 7 expressões, têm um significado profundo e marcante.

 

QUAIS FORAM AS FRASES QUE JESUS DISSE NA CRUZ DO CALVÁRIO?

 

PRIMEIRA

“Ora, Jesus, vendo ali sua mãe e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse à sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois, disse ao discípulo: Eis aí tua mãe.E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa. João 19:26,27   

Porque é que Jesus não deixou a sua mãe aos cuidados dos próprios irmãos?

Porque os próprios irmãos, não acreditavam Nele, (João 7:5), e a sua mãe não entendia bem a sua missão. Nenhum dos irmãos de Jesus o acompanhou até à cruz. Jesus deixou a mãe dele com o seu discípulo mais chegado, João. 

Jesus valorizava a família, mas, a família verdadeira é a de Cristo! Imagine o olhar de Maria para Jesus ali na cruz, quando Jesus demonstra por ela uma preocupação familiar. João era a pessoa mais próxima capaz de a ajudar na sua vida espiritual. Jesus cuidou da sua mãe, assumindo a responsabilidade de filho mais velho, mas sabia que a partir dali, não poderia mais. Então pediu o apoio de João para ajudar sua mãe.Aqui vemos patentes 2 palavras – amor e responsabilidade.  

“E quem não toma a sua cruz e não segue após mim não é digno de mim. Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida por amor de mim achá-la-á.”Mateus 10:38,39  

Tens assumido as tuas responsabilidades?

Sê responsável ao levar a tua cruz!

 

SEGUNDA

 

“E dizia Jesus:Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.Lucas 23:34 

Aqui fala de PERDÃO

A crucificação de Cristo somente ocorreu por causa do nosso pecado. Se não fosse por nosso pecado, Jesus não teria que morrer na cruz. Ele nos lembra deste propósito, ao perdoar aqueles que o crucificaram. Primeiramente, foram aqueles que pregaram os pregos no seu corpo, mas também foi àqueles que o julgaram e condenaram injustamente. Mas nenhum de nós escapa da responsabilidade que o nosso pecado teve e tem na morte de Jesus.

Na oração de Jesus, Ele expressa o seu profundo amor, e pede a Deus para perdoar os seus malfeitores. O amor leva-nos a perdoar.O perdão tem  mão dupla. Ele cura a quem perdoa e a quem se sente perdoado. Na oração ao Pai que Jesus nos ensina, há um destaque para o perdão. 

“Perdoa-nos os nossos pecados, tal como nós temos perdoado aqueles que pecaram contra nós”.Mateus 6:12  

O perdão é melhor do que dez caixas de medicamentos, porque alivia a angústia do coração humano. Jesus perdoou para testemunhar o seu propósito, ao ir à cruz e cumprir o seu próprio ensino sobre o perdão. 

Quem precisa perdoar agora? Declara o perdão para quem te ofendeu!

 

TERCEIRA

 

“E disse-lhe Jesus:Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.” Lucas 23:43 

Fala deEsperança, de Salvação!

“E um dos malfeitores que estavam pendurados blasfemava dele, dizendo: Se tu és o Cristo, salva-te a ti mesmo e a nós. Respondendo, porém, o outro, repreendia-o, dizendo: Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação?E nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o que os nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez.”Lucas 23:39-41 

Este que repreende o outro pede que Jesus se lembre dele.

Esta frase de Jesus na cruz é a palavra da Esperança da Salvação. Embora estivesse agonizando na cruz, Jesus estava disposto a atender a qualquer um em necessidade. Jesus preocupou-se em assegurar ao pecador que estava ao seu lado, de que teria sim, salvação para ele, devido ao seu reconhecimento de pecado, e da sua fé Nele. 

No meio de tanto sofrimento Jesus não perdeu o foco principal da Sua Missão! “Ele veio buscar e salvar o que se tinha perdido”. 

Mesmo a sofrer terríveis dores, Jesus foi capaz de dar uma palavra de esperança. Quando todos O abandonaram, Ele nunca abandonou os Seus amigos. Quantas vezes, nós falamos palavras duras em momentos de dor, e isso só piora as coisas. Precisas de uma palavra de esperança? Jesus é o teu Amigo que te fortalece! Somente em Jesus há Salvação! 

“Então, disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe, pois, Simão Pedro: Senhor! Para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna!” João 6:67,68

 

QUARTA

 

“E, perto da hora nona, exclamou Jesus em alta voz, dizendo:ELI, ELI, LEMÁ SABACTÂNI, isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” Mateus 27:46 e Marcos15.34 

Estas palavras expressam Sacrifício e Angústia

Jesus, apesar de ser O Filho de Deus, passou por tudo o que um ser humano passa, e do pior, para ser o nosso Salvador, para que não duvidássemos do quanto Ele participou fisicamente, emocionalmente e de todas as formas, em nosso estado físico e mental. Temos aqui a Sua palavra de angústia emocional. 

Alguém disse que esse clamor tem duplo significado. Primeiro, foi o grito de dor como ser humanono momento em que, o caldeirão da ira de Deus, que deveria ser derramado sobre nós, caiu sobre Ele. Segundo, foi o brado de vitória pelo fato de estar cumprindo o projeto de Deus para salvar o mundo, citando o Salmo 22:1,“Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas das palavras do meu bramido e não me auxilias?”   

O Sacrifício e Angústia de Jesus

“Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.” Filipenses 2:5-11  

No momento de dor, a quem tens clamado?

Clama ao Senhor e Ele te responderá! “Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes.”Jeremias 33:3 

 

QUINTA

 

“Depois, sabendo Jesus que todas as coisas já estavam consumadas, para que se cumprisse a Escritura, disse:“Tenho sede.” João 19:28  

Fala de Redenção  

Aqui está o grande paradoxo: Jesus é a Fonte da Água da Vidae teve sede. A Sua sede era humana, porém, a sede maior, era “buscar e salvar o perdido e os mortos nos seus delitos e pecados”. 

E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados,” Efésios 2:1 

O vinagre que lhe deram era um líquido corrosivo, mas Jesus é a Água da Vida que elimina o efeito corrosivo do pecado que corrompe a vida humana. A sede revela a fragilidade humana, e nos faz sentir necessidade de buscar a Deus. 

Qual tem sido a tua maior fraqueza?Jesus pode saciar sua sede! 

“Replicou-lhe Jesus: Todo o que beber desta água tornará a ter sede; mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que jorre para a vida eterna. Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água, para que não mais tenha sede, nem venha aqui tirá-la.”João 4:13-15 

 

SEXTA

 

“E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado.”João 19:30  

Há aqui Plenitude! 

Jesus cumpriu com perfeição o plano de salvação projetado por Deus, do Éden até o dia da Sua ascensão ao céu. 

Jesus selou com o Seu sangue o Pacto na Nova Aliança.

Esta  palavra “Está consumado”,(TETELESTAI), significa que a Sua obra está completa, como um carimbo, cuja tinta é o sangue de Cristo,para a remissão de pecados. Aquele que crer e aceitar que o sangue de Jesus Cristo foi derramado para a remissão dos seus pecados, “está livre da lei do pecado e da morte!” Romanos 8:1,2 

“Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até o dia de Cristo Jesus,” Filipenses 1:6  

Deus cumprirá as suas promessas para a tua vida!

 

SÉTIMA

 

“Jesus, clamando com grande voz, disse: Pai! Nas tuas mãos, eu entrego o meu espírito.E, havendo dito isso, expirou.” Lucas 23:46  

Entrega e vitória! 

Jesus deu um brado em alta voz, citando o Salmo 31:5, “Nas tuas mãos encomendo o meu espírito; tu me remiste, SENHOR, Deus da verdade.” 

E constatou-se a sua morte física. A salvação é de graça,mas custou um alto preço, o Cordeiro imaculado foi sacrificado por nós, na cruz. 

Jesus não foi assassinado. Ele morreu voluntariamente, e o que o matou não foram os cravos e os espinhos, mas sim os pecados da Humanidade que pesaram sobre Ele. 

O que é que gostarias de entregar ao Senhor, hoje?Entrega-te ao Senhor, completamente, agora! 

A cruz é o evangelho que devemos viver.

Cada situação dolorosa pode ser uma ferramenta para crucificar o homem carnal e ressuscitar o ser espiritual que há em nós. 

Se estás a ser crucificado por algo que te faz sofrer, toma a tua cruz sabendo que após a crucificação, vem a ressurreição! 

Quantas vezes, nós temos uma sexta-feira de dor, mas depois vem um domingo da ressurreição, quando revivemos para Deus! 

Sentes que estás a ser crucificado?Deus vai-te ressuscitar! 

“O choro pode durar uma noite; pela manhã, porém, vem o cântico de júbilo.” Salmo 30:5 

“Porque a palavra da cruz é deveras loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus.” 1 Coríntios 1:18  

Entrega-te ao Senhor completamente agora! Reconcilia-te com o Senhor, agora!

Recapitulando

Amor, Responsabilidade, Perdão, Esperança da Salvação, Sacrifício e Angústia, Redenção, Plenitude, Entrega e Vitória são palavras a não esquecer!

 

Conclusão

“Mas todas as coisas provêm de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Cristo, e nos confiou o ministério da reconciliação; pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores por Cristo, como se Deus por nós vos exortasse. Rogamo-vos, pois, por Cristo que vos reconcilieis com Deus. Àquele que não conheceu pecado, Deus o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.” 2 Coríntios 5:18-21. 

Read more...

Nunca é Suficiente

Nunca é Suficiente


Vamos meditar em João 6:1-13!

“Respondeu-lhe Filipe: Não lhes bastariam duzentos denários de pão, para receber cada um o seu pedaço”. V.7

 

1ª Etapa

A razão por que algumas pessoas seguiam Jesus, baseava-se no pensamento:  “O que Jesus pode fazer por mim?“ 

Quando continuamos a caminhar com Jesus o tempo suficiente, em perseverança e consistência, passamos a uma etapa de maturidade em que dizemos “O que é que Jesus pode fazer através de mim?”

Jesus deixa de ser um “utilitário” para ti, e tu passas a ser uma pessoa útil num projeto eterno de salvação. 

Jesus chamou Simão Pedro que era um pescador e tinha um barco. Na realidade, a Verdadeprecisava de um meio de transporte, e Pedro necessitava da Verdade. Pedro não podia viver sem a Verdade, e Pedro seria uma fonte de bênção para o seu povo. Pedro seria um apóstolo para o povo judeu. 

Jesus sabia já o que fazer!João 6:6 

Quando muitos viram Jesus na cruz, incluindo líderes religiosos, diziam-lhe:“Se és o Filho de Deus, desce dessa cruz!” 

Jesus já sabia o que ia fazer, qual era o propósito da cruz, qual era o propósito da momentânea separação do Pai, ao seu grito, “ELI, ELI, LEMÁ SABACTÂNI”. 

Quando nós somos provados nas nossas circunstâncias, ou tentados, ainda que não sejam da parte de Deus, Ele já sabe o que fazer. Por vezes ficamos perplexos e tentamos sair “sozinhos” da situação, sermos nós a dar a resposta. Mas creiamos, Jesus sabe o que fazer!

 Os discípulos tinham poucos recursos. Por vezes temos pouco, e o pouco não é suficiente

  • Mas podes agradecer a Deus pelo pouco.
  • Podes agradecer por aquilo que não é suficiente.

 

Jesus mandou a multidão reclinar-se no chão. Reclinar-se, prostrar-se, é posição de humildade. 

Nós também podemos aprender a humildade, tal como Jesus disse: “Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas.” Mateus 11:29

Muitos são os que têm desejo de ser grandes, de fazer coisas grandes, e Jesus ensina-nos como “sermos grandes”.

“Portanto, quem se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no reino dos céus.” Mateus 18:4

As pessoas enchem-se cada vez mais de coisas, de bens, mas sentem-se cada vez mais vazias. Quanto mais têm, mais acham que isso lhes é insuficiente.

  • Se a pregação demora muito tempo, queixam-se, se é pouco tempo queixam-se.
  • Se lhes dás pão, querem arroz. Se lhes dás arroz, querem batatas, nada é suficiente.
  • Se há 2 louvores de adoração não chegam, se são 3 é demais – nada lhes é suficiente.
  • Se vais de metro, preferias ir de carro, se vais de carro, e há engarrafamento, pensas que o melhor teria sido ir de metro.

Há pessoas para quem nada é suficiente, seja qual for a circunstância! Nenhuma resposta também é suficiente! Se lhe é dito que confiem no Senhor, respondem, “Lá está o pastor! Ele devia era estar no meu lugar!”.

Nunca é suficiente. Nunca estão satisfeitos. Estamos sem dúvida a viver os males dos últimos dias. “Sabe, porém, isto, que nos últimos dias, sobrevirão tempos penosos; pois os homens serão amantes de si mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios, sem afeição natural, implacáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando-lhe o poder. Afasta-te também desses. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; sempre aprendendo, mas nunca podendo chegar ao pleno conhecimento da verdade.” 2 Timóteo 3:1-7  

Há pessoas que ouvem pregação após pregação, que aparentam piedade, mas negam-lhe a eficácia. Nas suas atitudes, levam atrás deles aqueles que estão carregados de pecados, que estão sempre a aprender mas não chegam ao conhecimento da verdade, que nunca nada lhes é suficiente.

Continuemos a meditar emJoão 6:1-13! “Respondeu-lhe filipe: não lhes bastariam duzentos denários de pão, para receber cada um o seu pedaço.”V.7

Jesus alimentou 5.000 homens, mas na realidade eram mais. Talvez 15.000, porque não estavam registadas as mulheres e as crianças que estavam com eles. Este milagre está registado nos quatro Evangelhos, o que é de grande relevância, riqueza e ensino. E será revelação oportuna para as nossas vidas.

Os números 12 e 7 que figuram neste milagre são números de equação divina.

O número 7 simboliza Plenitude / Perfeição.

O número 12 refere-se ao governo de Deus, à Sua autoridade e soberania. As 12 tribos de Israel, as 12 varas, os 12 discípulos.

Quando entendemos o governo de Deus, a Sua Soberania, podemos alcançar a Sua perfeição, isto é, nada mais, nada menos do que Santidade, sem a qual ninguém verá a Deus. Vamos então à história que já todos conhecemos, e descobrimos, nada mais, nada menos, que ela aconteceu depois da decapitação de João Batista.

Jesus tinha estado no tanque de Betesda e curado um homem que estava ali há 38 anos, e em seguida, os judeus perseguiam-no por ter sarado no sábado. E Jesus respondendo-lhes, disse: “Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.”

Quero dizer-te que Jesus está vivo, que está connosco e que está disposto a trabalhar na tua vida.

 

Embora as afirmações de Jesus fizessem com que os religiosos o perseguissem cada vez mais, e até procuravam matá-lo, Jesus falou sobre a ressurreição. Jesus disse que o Pai o tinha enviado, e que as Escrituras falavam Dele, e que eles deviam esquadrinhar as Escrituras. Jesus afirmou que eles não tinham o amor de Deus.

Há muitos que ainda não têm Jesus nem o seu amor, mas necessitam-no. Jesus disse que os religiosos não podiam acreditar Nele, pois recebiam glória uns dos outros, e não buscavam a honra que vinha de Deus. “Se não acreditais nos escritos de Moisés, como podeis crer em mim? Pois ele escreveu sobre mim.”

Continuemos a estudarJoão 6:1-13!

Depois desta viagem que Jesus tinha feito com os seus discípulos a Jerusalém, partiu para o outro lado do mar da Galileia, (Tiberíades). A multidão seguia-o, pois via os sinais e os milagres. 

Muitos são aqueles que vêm a Jesus em busca de um sinal, um milagre na sua vida. E essa é a primeira motivação para O seguirem. Para os que começam a andar com Jesus, querem o benefício do que Jesus lhes pode dar ou fazer, mas com a intimidadee a maturidadeseguem Jesus por quem Ele ée não pelo que Ele pode fazer ou dar.

É verdade que Jesus se afastou com os seus discípulos para ter um tempo com eles, um tempo de ensino, um tempo de intimidade.

 

ERA TEMPO DE PÁSCOA

O tempo da Páscoa era um Memorial na cultura judaica. Jesus viu uma grande multidão que o tinha seguido, e viu desde o lugar onde estava, no monte, um lugar alto.

“E Jesus, ao desembarcar, viu uma grande multidão e compadeceu-se deles, porque eram como ovelhas que não têm pastor; e começou a ensinar-lhes muitas coisas. Estando a hora já muito adiantada, aproximaram-se dele seus discípulos e disseram: o lugar é deserto, e a hora já está muito adiantada;” Marcos 6:34,35 

Jesus compadeceu-se da multidão, porque via-a como ovelhas sem pastor. Jesus compadece-se ainda hoje de nós. Ele continua a ter compaixão, e apesar dos discípulos quererem despedir a multidão, Jesus tinha de fazer algo. Ensinou-lhes que havia algo mais.

Agora, se tivermos em atenção o contexto em que isto aconteceu, foi logo a seguir à morte de João, o Batista, aquele que preparou o caminho. Depois de Jesus ter viajado desde Jerusalém, estava a ter um tempo de intimidade, de discipulado com os Seus discípulos.

As oportunidades aparecem nos momentos mais inconvenientes. Ou confias em Jesus, ou nas coisas e na tua capacidade.

Aquele era um momento “inconveniente”. Não havia comida suficientepara os alimentar, mas depois de Jesus ter ensinado os seus discípulos, eles precisavam de ser alimentados “Algo Mais”.

Mas ele lhes disse: Dai-lhes vós de comer. E eles disseram: Não temos senão cinco pães e dois peixes, salvo se nós próprios formos comprar comida para todo este povo.” Lucas 9:13

“Ao que ele lhes disse: Quantos pães têm?” Marcos 6:38 

O que têm para dar? E eles não tinham suficiente.

Filipe foi provado, tal como nós também somos provados.

 “…Filipe: onde compraremos pão, para estes comerem? Mas dizia isto para o experimentar; pois ele bem sabia o que ia fazer. Respondeu-lhe Filipe: duzentos denários de pão não lhes bastam, para que cada um receba um pouco.”  João 6:5-7 

 Jesus quando faz uma pergunta, já sabe o que fazer, já sabe qual é a resposta! Mas Ele quer saber se temos a revelação, o conhecimento divino para podermos perceber qual é a Sua vontade.

Para Filipe não lhe bastavam sequer duzentos denários! “O que temos não é suficiente!”  

 Recorda que em Marcos vemos que Jesus lhes dá uma ordem “Dai-lhes vós de comer”, e perguntou-lhes “Que tendes?”. E André, irmão de Simão Pedro, respondeu: 

 “Está aqui um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas que é isto para tantos?” João 6:9 

 

Não é suficiente!

Há sempre a tentação de não valorizar aquilo que Deus nos enviou para providenciar a nossa necessidade. Foi isso que à primeira vista, eles queriam fazer.

Os discípulos seguiam Jesus para marcarem a diferença, e agora que tinham a oportunidade de a demonstrarem na vida de uma multidão, eles queriam mandá-la embora, faminta, porque achavam que a comidaque estava no meio inconveniente, não seria suficiente.

A Palavra, à qual tu resistes, que não queres receber, que te causa tensão, que causa incómodo, é mesmo essa que te vai fazer crescer, que vai dar-te os recursos para que o Senhor cresça em ti!

“Disse Jesus: fazei reclinar-se o povo.” João 6:10 

“Então lhes ordenou que a todos fizessem reclinar-se, em grupos, sobre a relva verde. E reclinaram-se em grupos de cem e de cinquenta.” Marcos 6:39,40 

A multidão não somente ouviu os seus ensinos, mas também reclinou-se agrupando-se. Isso implica um processo. 

“O homem não vive só de pão, mas de tudo o que sai da boca do Senhor, disso vive o homem.” Deuteronómio 8:3.

Reclinar-se não é apenas um ato físico, mas também uma atitude que vem do interior do teu coração, e ao efectuá-lo, está a demonstrar confiança.

 “Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo.” Romanos 10:17 

 “Eu, porém, confiarei no Senhor; esperarei no Deus da minha salvação. O meu Deus me ouvirá.” Miqueias 7:7 

 “O ouvido que escuta a advertência da vida terá a sua morada entre os sábios.” Provérbios 15:31 

 “O coração do entendido adquire conhecimento; e o ouvido dos sábios busca conhecimento;” Provérbios 18:15 

Quando inclinamos os nossos ouvidos e repousamos na Palavra do Senhor, depositando Nele a nossa confiança, e existe um processo que tem um resultado, que dá fruto. 

Jesus viu a necessidade da multidão na perspetiva do céu. Jesus viu-a como ovelhas sem pastor, e teve compaixão. Os seus discípulos viram-nos desde uma perspetiva sensorial, terrena. E quiseram despedi-la.

O nível donde vemos as circunstâncias da nossa vida, vai depender na forma como as vamos encarar. Podemos crer que os impedimentos, limitações, dificuldades, incómodos e infortúnios, são oportunidades de vermos a glória e o poder de Deus.

 “Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas sim nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, enquanto as que se não vêem são eternas.” 2 Coríntios 4:18 

Quando vemos as dificuldades numa Visão sensorial,terrena, num olhar de baixo para cima, temos uma ideia genérica e descrevemo-la de acordo com o que vemos e quanto aos nossos sentimentos.

Quando recebemos uma Visão incisiva,e conseguimos olhar de cima para baixo, processamos aquilo que vemos através do conhecimento que já temos sobre aquilo que vemos. 

Isaías fala de que os jovens fraquejam e caem, mas aqueles que esperam no Senhor, (aqueles que confiam), renovarão as suas forças.

 Deus “Dá força ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor. Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os mancebos certamente cairão, mas os que esperam no senhor renovarão as suas forças, subirão com asas como águias: correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.”Isaías 40:29-31

 

Subirão como as águias!

 

As pessoas que têm uma visão desde os céus,uma visão celestial, divina, incisiva, que vai mais para lá do evidente, do sensorial, podem vislumbrar aquilo que Deus preparou, deseja, prometeu e vai cumprir, e pode ter a fé e esperança, e o amor pelo Senhor.

 ”Mas, como está escrito: as coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam.” 1 Coríntios 2:9

Com que Visão, vives a tua vida? Com aquela revelação do conhecimento de Deus, que conhece tudo, e dá sabedoria, e não nega nenhum bem a quem lhe pedir?

Foram aos 12 discípulos que Jesus fez a seguinte pergunta: “… Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?”Mateus 16:13. Os 12 ouviram a mesma pergunta, e ouve diferentes respostas. Mas somente um teve a resposta de uma Visão/Revelação que não era sensorial. 

 “Responderam eles: uns dizem que é João, o batista; outros, Elias; outros, Jeremias, ou algum dos profetas.” Mateus 16:14 Estas eramrespostas baseadas numa visão percepção sensorial.

 “Mas vós, perguntou-lhes Jesus, quem dizeis que Eu sou? Respondeu-lhe Simão Pedro: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Disse-lhe Jesus: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelou, mas meu Pai, que está nos céus.” Mateus 16:15-17

 

Visão da divina revelação, e “o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade; e vimos a Sua glória, como a glória do unigénito do Pai”. Jesus habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória. Ele vem da glória, e sabe aquilo que nós não sabemos e nos faz seus colaboradores e quer partilhar connosco a sua glória.

O rapaz que estava entre a multidão nem foi contado para os censos, mas foi tomado em conta, por Jesus. Tal como aqueles leprosos que levaram as boas notícias de vitória, as boas novas.

Deus usa o vil e o menosprezado, ele usa as circunstâncias menos comuns as mais incomuns para fazer a obra na tua vida. Creio que os discípulos devem ter aprendido a ver que aquilo que tinham afinal era suficiente. Quando tu aprendes a estar agradecidopelo que tu consideras insuficiente, passa a ser mais que suficiente nas mãos de Cristo.

Todos nós precisamos de aprender a ser agradecidos.

“E a paz de Cristo, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; esede agradecidos.” Colossenses 3:15 

Jesus abençoou. Jesus tomou os pães, e deu graças ao Pai, por eles.

Quando estás agradecido a Deus pelo pouco que tens, torna-se muito nas mãos de Deus. Deus dá a visão e a provisão. Começou a dar aos seus discípulos para irem dando às pessoas que estavam reclinadas.

“Jesus, então, tomou os pães e, havendo dado graças, repartiu-os pelos que estavam reclinados; e de igual modo os peixes, quanto eles queriam. E quando estavam saciados, disse aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca. Recolheram-nos, pois e encheram doze cestos de pedaços dos cinco pães de cevada, que sobejaram aos que haviam comido.” João 6:11-13 

Quando toda a multidão já estava saciada, mandou recolher os pedaços que sobejaram. Encheram-se 12 cestos de pedaços de pão de cevada, e de peixe.

Depois Jesus retirou-se para o monte e enviou os seus discípulos no barco para Cafarnaum. Surgiu entretanto uma tempestade e assustaram-se quando viram Jesus caminhando sobre as águas, ao encontro deles. Ele disse-lhes que não temessem.

Jesus advertiu-nos que no mundo teremos aflições, mas para não temermos eis que eu venci ao mundo e estarei convosco até à consumação dos séculos.

No barco estavam os cestos, o memorial do milagre, com o que restava dos pães e dos peixes. E ali estava a multidão e Jesus começa a ministrar-lhes.

 “E, achando-o no outro lado do mar, perguntaram-lhe: Rabi, quando chegaste aqui? Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que me buscais, não porque vistes sinais, mas porque comestes do pão e vos saciastes.” João 6:25,26 

 “Na verdade vocês vêm buscar a Deus, não porque ocorra algo espiritual na vossa vida, mas para que sejam saciadas as vossas necessidades materiais. Querem que eu vos dê de comer, de vestir, um carro, uma casa, uma namorada, entre outras coisas... Qual é a vossa motivação?”

 “Trabalhai, não pela comida que pereceJoão 6:27  (Apocalipse 3:17  porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; )mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do Homem vos dará; pois neste, Deus, o Pai, imprimiu o seu selo. Perguntaram-lhe, pois: Que havemos de fazer para praticarmos as obras de Deus? Jesus lhes respondeu: A obra de deus é esta: Que creiais naquele que Ele enviou. Perguntaram-lhe, então: Que sinal pois fazes tu, para que o vejamos e te creiamos? Que operas tu?” João 6:28-30

A maior parte da igreja moderna está em modelo de auto-suficiência, como a igreja de Laodiceia. Mas Jesus disse,“Há uma comida que dá vida eternaque eu vos dou”.

Os discípulos voltaram à premissa da auto-suficiência do fazer. “O que fazemos?”Jesus estava a tentar dizer-lhes que não tinham de fazer, mas sim de crer. E mesmo depois de aquele grandioso milagre, houve quem perguntasse, “Mas que sinal fazes tu, para que vejamos e creiamos?”Que loucura!

E começam a enumerar o milagre do Maná do Céu, que os seus pais tinham comido quando foram guiados por Moisés, no deserto. E Jesus disse-lhes: 

 “Não foi Moisés que vos deu o pão do céu; mas meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu. Porque o Pão de Deus é Aquele que desce do céu e dá vida ao mundo. Disseram-lhe, pois: Senhor, dá-nos sempre desse pão. Declarou-lhes Jesus. Eu sou o Pão da Vida; aquele que vem a mim, de modo algum terá fome, e quem crê em mim jamais terá sede.” João 6:32-35

 

JESUS ÉEU SOU” 

  • Eu sou o que tu necessitas - eu sou o pão de vida 6:35
  • Se tens fome eu sou suficiente.
  • Eu sou mais que suficiente.
  • Eu sou a luz deste mundo.
  • Eu sou a porta das ovelhas
  • Eu sou o bom pastor
  • Eu sou ressurreição e a vida
  • Eu sou a videira verdadeira.
  • Eu sou o caminho a verdade e a vida
  • Eu estou sentado nos lugares celestiais, à direita do Pai.
  • Eu sou aquele que foi à cruz, e o povo escolheu libertar Barrabás!

 

A Bíblia não fala muito desse Barrabás. Era um assassino, um líder de um grupo dos marginais que se rebelavam contra Roma e contra o sinédrio. Era um zelote, era um rebelde. Mas no momento em que apresentaram Jesus perante Pilatos, estava também lá, Barrabás,o assassino, o ladrão, o rebelde. Era totalmente o oposto de Jesuso Filho de Deus, o Cristo.

E pela tradição judaica, na Páscoa, o governador costumava libertar um condenado, e perguntou ao povo: “A quem quereis que liberte, Jesus ou Barrabás?” 

Barrabás?

Ele merecia ser cruxificado. Ele matava pessoas. Ele roubava. Ele liderava uma rebelião. Ele era uma má pessoa! 

Ou Jesus?

Ele libertava

Ele restaurava

Ele dava vista aos cegos

Ele fazia ouvir os surdos

Ele curava os leprosos

De que é culpado Ele?

 

“A QUEM QUEREIS?”

O povo incitado pelos religiosos disse, “Queremos que libertes Barrabás!”.E libertaram Barrabás que foi ter com seus amigos, não voltou a olhar para Jesus, nem sequer para lhe agradecer. Foi cheio de si mesmo, pensando, “O povo ama-me, eu sou importante e vou cada vez ser mais significante na revolta contra os romanos!”

 

Jesus estava tranquilo, sabia que o Pai tinha que o tratar como se fosse Barrabás, para que Barrabás pudesse ser tratado como Jesus. 

Barrabás pensou que foram as pessoas que o libertaram, mas não! Foi o Amor do Pai celestial. Se reparares para esta porção da história, será que podes aperceber-te de quem é verdadeiramente Barrabás? Sou eu, és tu! Sim. Mas Deus amou Barrabás. 

Provavelmente Barrabás nunca reconheceu essa dádiva de vida, da parte de Deus. Mas Deus amou Barrabás!

“Mas ele era tão mau!” Mas ainda assim, Deus amou Barrabás! 

“Mas Deus dá prova do seu amor para connosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós.” Romanos 5:8  

Deus enviou o seu Filho para salvar Barrabás, embora soubesse que ele seria solto e não olharia para trás, nem sequer para agradecer essa dádiva, essa oportunidade… Ainda assim, Deus amou Barrabás!

E os crentes têm a ousadia para dizer: “Eu sou salvo pela Graça”. 

Mas agora estou a passar um momento de trevas, do qual é melhor que eu me esforce arduamente para sair dele. O quê? Isso é o oposto ao Evangelho! O que temos de fazer para ter “esse pão”? É só acreditar. 

Estás debaixo do poder de alguma tentação? De algum pecado? E admites que te está a controlar? O que é que vais fazer? Vais esforçar-te para te libertares?

Para já, não o farás! Tu não és ninguém para lutar contra os principados e potestades do Maligno! Tu não consegues lutar contra as correntes do pecado, não vais conseguir, vais ser somente mais uma estatística. Não há nenhuma resposta, por ti mesmo.

A tua própria disciplina, o teu próprio casamento, a tua própria bondade, a tua própria devoção, não salvarão o teu casamento, e não salvarão os teus filhos!

Há somente UM, E foi ele que tomou o teu lugar! Foi ele que permaneceu em silêncio diante de Pilatos, e, interiormente disse “Sim. Deixa que libertem Barrabás, tomem-me a mim!”  

Quantas vezes, nós estamos naquela plataforma com Pilatos e com Jesus, e somos como Barrabás? E começam a tirar-nos as correntes, e dizemos, “Não! Não! Eu mereço isto! Eu mereço a culpa! Eu mereço a vergonha! Eu mereço as consequências! Eu mereço isto!”

E Jesus parece olhar-nos e diz, ”Não, filho! Deixa-me levar isso, deixa-me levar o teu pecado, a tua dor, a tua vergonha!”

Mas tu dizes, “Não Senhor! eu fi-lo a mim mesmo! Eu mereço-o, o meu casamento não se sustentará, e eu mereço o divórcio! Eu mereço as dificuldades, eu mereço enfermidade eu mereço tudo isso! Não, Senhor! Eu tenho tanta vergonha!”

Jesus diz: “Dá-me a tua vergonha!”

“Mas, Senhor, e se o volto a fazer?”

“Eu estarei aqui!”

“Oh Senhor! Mas eu não te quero ofender, eu amo-te! Eu não quero voltar a fazer isto, nunca mais!”  

“Filho! Dá-me os teus pecados!”  

“Isto é tudo o que temo! É tudo o que tenho!” 

“É tudo o que tens?”

 

Podemos jogar alguns jogos. Podemos jogar jogos de igreja. Podemos fingir que umas pessoas são melhores do que as outras, e é por isso que elas estão abençoadas! Ou podemos todos chegar à conclusão honesta de que é Deus, somente Deus que nos pode libertar! 

O maior desafio não é a nossa disciplina, a nossa devoção! O nosso foco, o nosso maior desafio é acreditarmos no Evangelho! 

Será possível que haja um Deus com um amor tão grandioso tão abrangente, tão profundo, tão vasto, tão alto, tão expansivo, tão acolhedor, tão inclusivo?

“Dá-me os teus pecados, filho!”

“Ok!”

 

E ficas nesse espaço vazio de perdão e aceitação, enquanto Jesus caminha para a cruz que tu merecias? Eu vejo-o a caminhar para o tronco para ser açoitado, enquanto eu sou livre de toda a atenção que está sobre Jesus, que me diz: “Vai filho! Vive a tua vida! Eu pago o preço!” 

Não sei onde é que fomos buscar a ideia de que nós podíamos livrar-nos a nós mesmos! 

“Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados, e pôs em nós a palavra da reconciliação… Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que, Nele, fôssemos feitos justiça de Deus.” 2 Coríntios 5:19,21   

Ainda é Jesus! E sempre será Jesus, e nunca deixará de ser o poder de Jesus!

O seu sangue é suficiente para a tua salvação!

O seu sangue é suficiente para te sustentar através de qualquer desafio, através de qualquer pecado, de qualquer tentação!

 

 Jesus é suficiente!

Read more...

Acrescentai à Vossa Fé a Virtude

Há virtudes indispensáveis para vencer em Cristo: Simplicidade, Gratidão, Paciência, Prudência e Perseverança.

E existem três constantes na vida: mudança, escolha e princípios.”(Stephen Covey)

A vida cristã é uma contínua mudança! Não nos conformemos a mais nada, a não ser a Jesus Cristo!

Há escolhas que têm de ser feitas. A primeira é ter Jesus como Senhor e Salvador. A nossa vida deve alicerçar-se nos princípios da Sua Palavra e das Suas Promessas. As nossas limitações podem ser uma plataforma de impulso à nossa fé ou um bloqueio a ela.

“A vida é 10% do que nos acontece e 90% de como reagimos”. (Charles R. Swindoll) 

Por exemplo,dez dos dozeespias viram os impedimentos para conquistarem a Terra Prometida, Canaã, e somente em Josué e Caleb havia outro espirito. Eles confiaram na Palavra dada por Deus! Os outros dezreagiram com corações inflamados pelo pessimismo, ou por visão deturpada, queixosos e amargurados, e contaminaram todo o povo e condicionaram a decisão de Moisés. 

Muitas vezes o povo de Deus exerce pressão sobre a liderança, e se a liderança enfraquecer, dará voltas e voltas, e ficará só como Moisés. Verá Canaã, mas não a herdará!

É necessário haver uma liderança com outro espírito,como o de Josué e Caleb, ou como o espírito de Paulo que dizia a Timóteo, “Por esta razão sofro também estas coisas, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que Ele é Poderoso para guardar o meu depósito até aquele dia”. 2Timóteo_1:12

Josué e Calebsabiam que enfrentariam esses gigantes, que seriam “aparentemente” uma limitação, mas que isso seria o “combustível” para a sua fé na promessa da Palavra recebida da parte de Deus, que nunca falha!

 

As “limitações” que enfrentamos vão regular a bênção que experimentamos!

 

Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, a esse seja glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém. Efésios 3:20, 21  

A incredulidade é a única coisa que pode impedir de recebermos as promessas de Deus para a nossa vida. 

O diabo não pode impedir que Deus te abençoe! A sua única alternativa é colocar-te num estado de cerco espiritual, para que não possas ter acesso à bênção que Deus te deu, pela Sua graça. 

Cuidado com quem te associas e em quem te apoias! Não procures o teu apoio na “carne”, mas em Deus!

Deus escolhe as pessoas mais improváveis nas situações mais improváveis, para trazer o livramento àqueles que lhe pertencem.

Deus repartiu Dons aos homens, a cada um, uma graça específica!

Mas a cada um de nós, foi dada a graça conforme a medida do dom de Cristo”Efésios 4:7 

 

A SIMPLICIDADE

 

Simplicidade ou sobriedade é a ausência de artifícios, extravagâncias e excessos de ordem materialsocial ou psicológica.

Simplicidade é o caminho para se chegar à humildade, e com isso, ser uma pessoa mais servil, menos arrogante e prepotente, combatendo e se livrando da inveja, do orgulho e dos ciúmes.

“A vida é realmente simples, mas nós insistimos em fazer com que seja complicada”. (Confúcio). 

Paulo escreveu aos coríntios, “Mas, temo que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos entendimentos e se apartem da simplicidade e da pureza que há em Cristo”. 2 Coríntios 11:3 

Podemos ver como muitas vezes o nosso entendimento se corrompe e se desvia da simplicidade e da pureza de Cristo.

Que cada irmão possa viver essa simplicidade cristã, de forma pura. Chegue-se a Cristo, que ele se chegará a si! Resista ao inimigo, porque ele fugirá de vós!

Simplicidade é uma grande virtude. É o caminho para a humildade, e tem uma manifestação bastante prática na vida particular de cada filho de Deus, visível na manifestação dos frutos do Espirito Santo. A simplicidade e a humildadenão têm nada que ver com “Status” social, com “Status” académico, mas sim com a forma de estar, longânima, benigna, imparcial, bondosa e piedosa de um filho de Deus, que se vai libertando da sua arrogância, e prepotência. A simplicidade luta e liberta-se da inveja, do orgulho, dos ciúmes e de todos os sentimentos facciosos.

Nenhuma destas qualidades pode ser adquirida ou produzida, são apenas reveladas através do exercício dos frutos do Espírito Santo na nossa vida.

      Não é apenas uma questão de fazer, mas sim, de ser e de estar.

 

A GRATIDÃO

Num sentido amplo, a gratidão pode ser explicada como um reconhecimento abrangente pelas situações e dádivas que a vida nos proporciona.

A gratidão no sentido humano, envolve um sentimento de dívida emotiva dirigida a outra pessoa, e é frequentemente acompanhado por um desejo de agradecer ou retribuir um favor.

A gratidão, num contexto teológico, refere se a um sentimento de dívida para com Deus, pelo Seu Amor e Graça, manifesto na Cruz em Jesus Cristo, que nos reconciliou com o Pai e nos livrou do peso do pecado e da morte.

A gratidão no coração humano faz com que se desenvolva a obra do Espírito Santo na vida de um filho de Deus.

“É através da gratidão pelo momento presente, que a dimensão espiritual se abre”. (Eckart Tolle). 

“Quando és agradecido, quando podes ver o que tens, desbloqueias bênçãos que fluem na tua vida”. Suze Orman 

A nossa tendência humana é reparar naquilo que os outros têm, e isso leva-nos ao pecado da comparação, à insatisfação e à inveja. Se não formos gratos, a dimensão do mundo espiritual é algo que sabemos que existe, mas nunca o experimentaremos.

Fomos chamados a estar em paz e a sermos agradecidos!(Colossenses 3:15, 2 Pedro 1:3-10)

 

A VIRTUDE

A Palavra de Deus fala de acrescentar à fé, virtude!

VIRTUDE é uma disposição estável de praticar o bem; revela mais do que uma simples característica ou uma aptidão para praticar o bem, trata-se de uma verdadeira inclinação. É o conjunto de todos os hábitos constantes que levam o homem a praticar o bem.

Não fazer mal, não acrescentar virtude, mas sim o fazer o bem.

“Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado”. Tiago 4:17. 

Cuidado, pois, cada vez que sabes fazer bem e não o fazes, estás a pecar deliberadamente.

“E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido”. Gálatas_6:9 

Não te canses de fazer bem!

Fazendo o BEM, as pessoas verão as virtudes na prática, e nãona religiãoque não muda o coração.

Muitos são os “corações estagnados” que por se terem cansado de fazer o BEM,caíram em rotina. 

O amor de muitos se esfria por causa da maldade de outros.

Existem tantas virtudes a serem acrescentar à Virtude. Uma delas é a Ciência que é conhecimento. Devemos procurar conhecer melhor Jesus, conhecer qual é a Sua vontade! Lê Romanos 12:1, 2

 

DOMINIO PRÓPRIO 

 “O Senhor deu-nos um espírito de poder, de amor, e de mente sã, ou seja, de domínio próprio”.

2 Timóteo1:7.

“Fortalecei-vos no Senhor e na força do Seu poder”.Efésios 6:10 

 Já chegamos ao ponto de dizermos como Paulo, que não reinamos nós, mas Cristo reina em nós? Que estamos sujeitos a Ele e à Sua vontade? Que é o seu Espírito que nos guia, que nos consola?

“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim”. Gálatas 2:20 

Aqui surge uma das grandes virtudes que necessitamos aprender.

 

Com paciência!

 

A ciência da paz, de descansar no Senhor e na Sua Palavra, nas Suas Promessas, implica a Esperança. “Esta esperança segura de ser salvos é para as nossas almas uma âncora forte e de confiança, que nos liga ao próprio Deus, do outro lado do véu sagrado do céu”. Hebreus 6:19 

Paciência é a capacidade de suportar incómodos e dificuldades de toda a ordem, de qualquer hora, ou em qualquer lugar.

É a capacidade de persistir num trabalho difícil, mantendo uma atitude tranquila e acreditando que se irá conseguir o que o Senhor quer, ser perseverante, saber esperar o momento certo para uma atitude adequada, aguardar em paz a compreensão que ainda não tenha obtido, capacidade de ouvir alguém, com calma, com atenção, sem ter pressa, a capacidade de se libertar da ansiedade. 

Ser paciente,é ser educado, é saber agir com calma e com tolerância.

A paciência também é caridade, quando praticada nos relacionamentos interpessoais. 

Diz-se que de entre as sete virtudes, a mais difícil de desenvolver, é a paciência, mas uma vez desenvolvida, ela traz inúmeros benefícios.

“Nós procuramos viver de tal maneira que ninguém jamais fique ofendido ou se retraia de buscar o senhor pelo modo como agimos, a fim de que ninguém possa encontrar falta em nós, e culpar o senhor por ela. De facto, em tudo o que fazemos, procuramos mostrar que somos verdadeiros ministros de Deus. Aguentamos, com toda a paciência, o sofrimento, a fadiga e as aflições de toda espécie”. 2 Coríntios 6:3,4.  

As nossas credenciais devem ser as nossas virtudes.

Essas virtudes devem ser levadas no nosso coração. São os frutos do Espirito Santo, tal como o sacerdote levava as pedras preciosas no peitoral. E a mais preciosa dessas pedras, é a paciência, esse fruto é mais poderoso que muitos dons sobrenaturais.

Aquele que espera sem paciência desespera.Desiste, abandona a corrida.

Pela falta de paciência, há casamentos que se desfazem, famílias que são destruídas. Mas aquele que espera algo da parte de Deus, com paciência, ancorado na esperança, recebê-lo-á.

“Entretanto, se precisamos continuar a confiar em Deus por algo que ainda não aconteceu, isso nos ensina a esperar com paciência e certeza”. (Viva) Rom 8:25  

“Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o aguardamos”. Rom 8:25  JFA

“Agora, quanto a vocês, queridos irmãos que estão esperando a volta do Senhor, sejam pacientes, como o lavrador que espera até o outono para que a sua preciosa colheita amadureça. Sim, sejam perseverantes. E tenham coragem, pois a vinda do Senhor está próxima. Não murmurem uns dos outros, irmãos. Será que vocês próprios estão acima de qualquer censura? Pois vejam! O grande juiz já vem. Está quase aqui; (Deixem que Ele faça qualquer censura que precise de ser feita)”.VIVA Tiago 5:7-9. 

A paciência mostra a capacidade estóica de sofrer muitas vezes grandes adversidades até ver o fruto prometido sem abandonar a fé. Para passar a falar na perseverança não poderia deixar de falar numa virtude imprescindível, que é a prudência.

 

Com prudência!

 

PRUDÊNCIA, na mitologia romana, CRAYTUS era o deus grego da guerra e da prudência.

Classicamente, prudência é considerada uma virtude, sendo uma das quatro virtudes cardinais. A palavra vem de prudência, (expressão francesa do final do século XIII), do latim PRUDENTIA, (que significa previsãosagacidade).

Frequentemente é associada com a sabedoria,  e o conhecimento. Neste caso, a virtude é a capacidade de julgar entre atitudes maliciosas e virtuosas, não só num sentido geral, mas com referência a acções apropriadas num dado tempo e lugar. Embora a prudência não execute qualquer acção, está preocupada unicamente com o conhecimento, e todas as virtudes têm que estar reguladas por ela. 

Prudência com as palavras, com a língua, no saber falar, fazendo com que as nossas palavras sejam melhores do que o silêncio!

“Até o tolo, estando calado, é tido por sábio; e o que cerra os seus lábios, por entendido.”  Tiago 3:6. A língua também é um fogo; sim, a língua, qual mundo de iniquidade, colocada entre os nossos membros, contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, sendo por sua vez inflamada pelo inferno”

“O homem vil suscita o mal; e nos seus lábios há como que um fogo ardente. 

O homem perverso espalha contendas; e o difamador separa amigos íntimos”. Pro 17:28 

 

Prudênciacom os ouvidos! Cuidado com o que ouves, ou como interpretas o que ouves. Cuidado com as pessoas que não sabem guardar uma confidência, e que rápido vão espalhar o que escutaram, ou o que interpretaram mal o que escutaram, ou, como muitas vezes acontece, contam ao contrário, ou aumentam ou diminuem, e causam tragédias em vidas alheias. 

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que seja boa para a necessária edificação, a fim de que ministre graça aos que a ouvem. E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção. Toda a amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfémia sejam tiradas de entre vós, bem como toda a malícia,

antes, sede bondosos, uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou, em Cristo”. Efésios 4:29-32  

Haja prudência com a alimentação!Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém.

Haja prudência com as redes sociais,com os comentários nas redes, com os Posts,com a exposição da intimidade, pois uma vez colocada, já não pode ser retirada. E isso passa a ser do domínio público. 

Haja prudência com aqueles que são violentos, que são soberbos, que são caluniadores, guardando-nos dos tais!

 

“O homem violento alicia o seu vizinho, e guia-o por um caminho que não é bom. Quando fecha os olhos fá-lo para maquinar perversidades; quando morde os lábios, efectua o mal. Provérbios 16:29, 30 

Mateus 7:6, “Não dêem aos cães o que é santo, nem lanceis aos porcos as vossas pérolas, para não acontecer que as calquem aos pés e, voltando-se, vos despedacem!”

 

“Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. 

Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas. 

Não sejas sábio a teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal. 

Isso será saúde para a tua carne; e refrigério para os teus ossos. 

Honra ao Senhor com os teus bens, e com as primícias de toda a tua renda; 

Assim se encherão de fartura os teus celeiros, e trasbordarão de mosto os teus lagares. 

Filho meu, não rejeites a disciplina do Senhor, nem te enojes da sua repreensão; 

Porque o Senhor repreende aquele a quem ama, assim como o pai ao filho a quem quer bem”. Provérbios 3:5-1

Deus não nos apoia na nossa prepotência e na auto-suficiência humana.

Quando dependemos Dele, da Sua Graça, tudo corre bem, de acordo com o Seu plano.

Quando somos auto-suficientes, estamos a declarar a nossa vitória humana, e isso conduz-nos ao fracasso. Mas, se decidimos confiar no Senhor, honrá-Lo com os nossos bens, com as primícias dos nossos ganhos, seremos abençoados e Ele nos guardará, ainda que, como filhos, Ele tenha que nos disciplinar. Mas recebamos essa disciplina de bom coração, porque que é para justiça, é para frutificar! 

 

Com perseverança!

A perseverançaé aquele valor que dispõe alguns seres humanos, no seu agir, e que implica a constância, a firmeza, a persistência, na consequência para atingir um alvo.

A perseverança é um sinónimo de diligência. É persistênciaéticadecisão e objectividade. É necessária nos trabalhos integrados com força, disciplina e motivação.

“E, despedida a sinagoga, muitos judeus e prosélitos devotos seguiram a Paulo e Barnabé, os quais, falando-lhes, os exortavam a perseverarem na graça de Deus”. Atos 13:43  

Perseverantes não pessoas que são levadas como um barco à vela por onde o vento lhes dá, por sentimentos e emoções. 

Os filhos de Deus são firmes e não mudam, estão afirmados na fé na rocha da sã doutrina.

Sim é sim, e o não é não! Perseveram na Palavra, em Jesus, na oração, no louvor e no partir do pão, e nas boas obras para as quais de antemão já estavam preparadas para que nelas andássemos. Andando com humildade, pedindo ao Senhor que nos ajude a dar frutos, em fé e amor.

“Eu repreendo e castigo, a todos quantos amo: sê pois zeloso, e arrepende-te!

Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo”. Apo 3:19, 20 

 

“Pedro então lhes respondeu: arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de jesus cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do espírito santo. Por que a promessa vos pertence a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe: a quantos o Senhor, nosso Deus, chamar. E com muitas outras palavras dava testemunho, e os exortava, dizendo: salvai-vos desta geração perversa! De sorte que foram batizados os que receberam a Sua Palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas.” Atos 2:38 - 41 

A comunhão dos crentes

E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. 

Em cada alma havia temor, e muitos prodígios e sinais eram

Feitos pelos apóstolos. 

Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum. 

E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, segundo a necessidade de cada um. 

E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração, 

louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos. Atos 2:42- 47 

Por que vêm tempos maus! Mateus 24:6-14

“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. 

Mas todas essas coisas são o princípio das dores. 

Então, vos hão-de entregar para serdes atormentados e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as gentes por causa do meu nome. 

Nesse tempo, muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão. 

E surgirão muitos falsos profetas e enganarão a muitos. 

E por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará. 

Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo. 

E este Evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o Fim.

 

Read more...
Subscribe to this RSS feed

Enlaces Ministeriais

Enlaces Ministérios Cristãos que colaboram direta/indiretamente em Portugal e Internacional.

Enlaces Institucionais

Enlaces institucionais de ajuda e apoio ao próximo

Outros Enlaces

Outros enlaces de colaboração e serviços

Este site usa cookies própias e externas para melhorar a sua navegação, ao prosseguir, concorda com o seu uso.
Mais informação Aceitar Decline